quarta-feira, 6 de junho de 2018

Knife of Dreams - Robert Jordan

   "The Wheel of Time turns, and Robert Jordan gives us the eleventh volume of his extraordinary masterwork of fantasy. 
    The dead are walking, men die impossible deaths, and it seems as though reality itself has become unstable: All are signs of the imminence of Tarmon Gai'don, the Last Battle, when Rand al'Thor, the Dragon Reborn, must confront the Dark One as humanity's only hope. But Rand dares not fight until he possesses all the surviving seals on the Dark One's prison and has dealt with the Seanchan, who threaten to overrun all nations this side of the Aryth Ocean and increasingly seem too entrenched to be fought off. But his attempt to make a truce with the Seanchan is shadowed by treachery that may cost him everything. Now Rand, Perrin and Mat, Egwene and Elayne, Nynaeve and Lan, and even Loial, must ride those storm winds, or the Dark One will triumph."

   Boas Leitores!
   Na última opinião desta saga estava a dizer que estava a ler os volumes a um bom ritmo, um a cada quatro meses... Bem, isso não aconteceu com este. Dez meses depois, aqui está o décimo primeiro volume da saga Wheel of Time que conta com os seus catorze volumes, e este foi o último que foi escrito na sua totalidade por Robert Jordan, todos os seguintes tiveram mais ou menos a contribuição de Brandon Sanderson.
   E então como está este décimo primeiro volume? Bem melhor dos que os últimos dois que li. Se antes os enredos pareciam estar a ser arrastados um pouco, com pouquíssima coisa a acontecer durante dois terços do livro e depois no último terço uma catrefada de coisas aconteciam a todas as personagens, com este volume a acção é constante em toda a obra.
   Primeiro que tudo vemos alguns dos enredos secundários a serem fechados para começarem a abrir caminho para o desenlace final. O caso do Perrin e do Mat e até da Elayne. Estes três, apesar de interessantes, tinham estado numa espécie de letargia onde não acontecia grande coisa e não parecia contribuir assim tanto para o enredo principal. Agora que está terminado, grandes opções surgirão.
   Adorei, como já há muito tempo que não adorava, todo o enredo da Egwene. Antes gostava imenso do que se relacionava com ela, por estar em parte relacionado com Aes Sedai, mas agora sempre que ela aparecia (e foi pena ter sido tão pouco) a minha atenção estava completamente devotada a ela. Foi das melhores partes deste livro.
   Outra das grandes partes (e das mais chocantes) foi com Rand. Aqui foi também um dos únicos pontos negativos que tenho a dizer desta obra. Não havia o suficiente sobre Rand. Apesar da saga ser acerca de várias pessoas, Rand é o protagonista de tudo, no entanto parece não ter assim tanto protagonismo ultimamente. A sorte e que, quando tem, é estrondoso e de certeza que espanta todos. Mesmo assim, gostaria de ter visto Rand a interagir mais com a Torre Negra. Que quanto a este local só temos notícias no epílogo, no curto epílogo que fala um bocadinho da Torre Negra e nos deixa a pensar que poderá ter uma maior importância no próximo livro.
   Agora, se quero ler o próximo livro? SIM, de certeza! Pena não o ter já, porque é certo que grandes coisas vão acontecer a seguir! Caso queiram saber mais sobre os volumes anteriores, basta seguirem o link: Crítica - Crossroads of Twilight
   Boas Leituras... ;)
9/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas