quarta-feira, 28 de março de 2018

Os Melhores Contos de H.P. Lovecraft Volume 6 - Howard Phillips Lovecraft

   "Sexto Volume de Os Melhores Contos de Howard Phillips Lovecraft 
   O mestre do horror clássico está de volta com contos que ajudaram a moldar a definição de horror na literatura. Com tradução do Prof. José Manuel Lopes, este é mais um volume que ficará para a história do género em Portugal."

   Boas Leitores!
   Surpresa! Pensavam que esta saga terminava no quinto volume? Pois saímos todos enganados! Esse era o plano inicial da editora, mas como esta colectânea teve tanto sucesso eles acabaram por negociar mais dois livros, desta vez com contos de H.P. Lovecraft e contos que ele ajudou a escrever e que por vezes são associados a outros autores. Portanto esta colectânea passará a ter sete livros (na qual o sétimo é o único que ainda não está publicado, deve ser para breve) e este que aqui temos é o sexto.
   Esta obra é composta por oito contos, e tem cerca de 290 páginas, o que dá uma média de 36 páginas por conto. Para quê estas contas? Só para termos uma pequena noção se os contos são grandes ou não. Claro que há alguma variação, contos bem mais pequenos que isso ou contos um pouco maiores. No entanto o interessante foi que reparei que eram aqueles contos que ultrapassavam o número de páginas médio que me captavam mais o interesse.
   A maior parte dos contos foi interessante. Acho que apenas um ou dois é que achei aborrecidos. Os contos mais curtos captavam mais emoção imediata, em poucas páginas, Lovecraft conseguia agarrar-nos e meter os nossos níveis de ansiedade altos e a pensar "o que é que irá acontecer a seguir?". Epor outro lado os contos maiores tinham uma vertente que era a de criar um tipo diferente de ansiedade, algo que crescia com o tempo e ia aumentando com o suspense que se ia criando com o enredo. De qualquer das maneiras acho que este autor foi verdadeiramente um mestre na sua arte.
   E não nos podemos esquecer que estes contos foram escritos há quase cem anos atrás. Poderiam ter ficado tão desactualizados ou tão irreais que não surtiriam nenhum efeito no leitor da actualidade, mas o certo é que surte. A sua mitologia é tão real que torna-se intemporal.
   O único pormenor que tenho a apontar aqui e que reparei apenas neste volume (e de certo poderia ter reparado nos outros se tivesse um pouco mais de atenção) é a quantidade de vezes que Lovecraft usa palavras como "inexplicável", "indescritível", "inominável" e por aí fora para evitar descrever ou monstros ou divisões ou mesmo certas ações. Uma pequena ajuda que usa constantemente e que após repararmos é impossível não termos noção durante todos os contos.
   É definitivamente uma obra aconselhada a quem gosta de terror, nada melhor do que voltar às origens e ler um dos grandes autores do género do século XX. Caso queiram saber mais sobre a saga basta seguirem o link: Crítica - Os Melhores Contos de H.P. Lovecraft Volume 5
   Boas Leituras... ;)
7.5/10

André

quarta-feira, 21 de março de 2018

Soul Eater vol.21 - Keep the Discipline All Over the World - Atsushi Ohkubo

   "Crona's crimes have become too terrible to ignore, and the troubled youth is added to Shinigami's list. Hoping to reach her friend first, Maka extends her soul perception ability to engulf the entire planet. But the sweep delivers even more than she had bargained for - the location of the Kishin's hideout!"

   Hello readers!
   E a contagem decrescente para chegarmos ao final desta saga já está em andamento. Contando com este, faltavam cinco volumes. Agora quatro. Por outro lado voltámos a ter apenas cinco capítulos neste volume e é nele que começa um dos maiores e últimos arcos (acho que, pelo menos, o próximo volume e o seguinte a esse conterão este arco também).
   A loucura nesta história continua. Para quem chegou a este ponto e fica chocado ou chateado com o rumo que a história está a tomar é porque não entende o estilo deste autor. Extremo e absurdo por vezes, o autor consegue mesmo assim agarrar o leitor e guiá-lo pela história de forma divertida. A partir do momento em que personagens vão lutar para uma lua que sorri temos de ignorar critérios que daríamos a outras obras.
   Agora houve também mais um pouco de desenvolvimento de personagens. Não foi em todos os protagonistas, mas consegui sentir-me mais satisfeito do que com o volume anterior. Talvez parte disso seja pela saga estar a terminar em breve então o autor pode ter tentado direccionar a história para algo que pudesse dar um fim satisfatório a todas as personagens.
   Tive um ligeiro entrave nos capítulos com o grande arco, com a entrada súbita de personagens que não fazia a mínima de quem eram, mas que parecia que todas as personagens já as conheciam. Até que percebi que eram parceiros de um dos vilões e então as peças começaram a encaixar. Havia também novas personagens do lado dos "bons-da-fita", mas foi engraçado que essas não me pareceram tão externas à obra como as do lado oposto do enredo.
   É uma obra que aumentou de qualidade de certeza e agora só posso esperar que continue a aumentar daqui em diante até chegar ao climáx do volume final! Caso queiram saber mais sobre os outros volumes é só clicar no seguinte link: Crítica - Soul Eater Vol.20
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

quarta-feira, 14 de março de 2018

A Cidade de Vidro - Cassandra Clare

   "Para salvar a vida da mãe, Clary tem de ir à Cidade de Vidro, o lar ancestral dos Caçadores de Sombras - não a incomoda que a entrada nesta cidade sem autorização seja contra a Lei e que violá-la possa significar a morte. Piorando mais a situação, ela vem a saber que Jace não a quer lá e que Simon foi encarcerado na prisão pelos Caçadores de Sombras que suspeitam de um vampiro que tolera a luz do Sol. Ao tentar descobrir mais pormenores sobre o passado da sua família, Clary encontra um aliado no misterioso Sebastian. Com Valentine a reunir toda a força do seu poder para destruir de uma vez por todas os Caçadores de Sombras, a única possibilidade de estes o derrotarem é combater ao lado dos seus eternos inimigos. Mas podem os Habitantes do Mundo-à-Parte e os Caçadores de Sombras pôr de lado o seu ódio mútuo e aliarem-se? Embora Jace compreenda que está pronto a arriscar tudo por Clary, poderá ela utilizar os seus poderes recentes para ajudar a socorrer a Cidade de Vidro - custe o que custar? O amor é um pecado mortal e os segredos do passado provam ser letais quando Clary e Jace enfrentam Valentine no último volume da trilogia Os Instrumentos Mortais - obra que figura na lista de sucessos literários do New York Times. Caçadores de Sombras é o título da trilogia que começa com A Cidade dos Ossos, com uma fantasia urbana povoada por vampiros, demónios, lobisomens, fadas, e que é um autêntico romance de acção explosiva."

   Boas Leitores!
   Quatro anos e meio. Esse foi o tempo entre ler a segunda obra desta pentalogia e ler o terceiro volume. A Cidade de Vidro é o terceiro volume desta saga cujos cinco livros estão todos publicados já na língua portuguesa.
   O que dizer desta obra...? Foi uma grande desvantagem ter lido o volume anterior há muito tempo? Nem por isso, passadas poucas páginas já me lembrava perfeitamente de quem era quem e do que tinha acontecido para trás. Se isso é uma vantagem ou desvantagem? Depende de que tipo de leitura se quer, para quem quer ler algo para jovens adultos bastante leve esta talvez seja uma boa escolha, para quem queira algo mais denso e pesado, talvez não.
   A escrita era muitas vezes superficial. A típica personagem adolescente que diz coisas adolescentes. Às vezes chegava a um ponto em que o discurso era demasiado superficial, mesmo para adolescentes, e não foi uma ou duas vezes em que senti que estava a ser retirado do mundo pelo tipo de escrita supérflua. Esse foi um dos poucos pontos negativos que tive. Quando estás envolvido num mundo não queres algo que te tire dele por ser contrastante.
   No entanto o enredo que temos nesta obra não está má de todo para o público-alvo que o livro quer atingir. Ao ler a obra senti por várias vezes a previsibilidade a atingir-me, ainda faltava muito para o livro acabar. Outras vezes até foi satisfatório e surpreendente com algumas ações.
   Já o desenvolvimento das personagens acho que ficou aquém. Mesmo tendo lido a última obra há mais de quatro anos, havia certas personagens que me lembrava perfeitamente de serem repetitivas nos seus pensamentos, e isso não mudou de todo nesta obra. Talvez na próxima mude, visto ter havido grandes alterações em termos de relações entre personagens nesta obra.
   Tem um bom desenvolvimento de enredo, mas as personagens precisam de ser mais trabalhadas. Se calhar nos últimos dois volumes é onde vemos isso a acontecer. Esperemos é que não fique mais quatro anos e meio até ler o próximo! Caso queiram saber mais sobre a saga, basta seguirem o link: Crítica - A Cidade das Cinzas
   Boas Leituras... ;)
5.5/10

André

quarta-feira, 7 de março de 2018

O Mundo de A Guerra dos Tronos - George R. R. Martin, Elio M. García, JR. E Linda Antonsson

   "Nesta enciclopédia é apresentada pela primeira vez a História ilustrada e mapeada dos Sete Reinos, com descrições vívidas das batalhas mais épicas, as razões das rivalidades destrutivas e as sementes das rebeliões que conduziram aos eventos descritos no primeiro volume da saga.
   Com a ajuda dos fundadores de Westeros.org, George R. R. Martin molda e estabelece a História e cultura de Westeros e revela os destinos e ambições dos antepassados dos Stark, Targaryen, Lannister e muitos outros. Este é o seu bilhete de entrada para Westeros. Venha descobrir os segredos que sempre quis saber sobre o mundo de A Guerra dos Tronos."

   Boas Leitores!
   E chegámos com um gigantesco tomo aqui no blogue. Não tem muitas páginas, não atinge as 350, mas compensa com o seu tamanho superior ao de uma folha A4. E antes que perguntem, não, não é o próximo livro da saga A Guerra dos Tronos ou Uma Canção de Gelo e Fogo. Esta obra é para aqueles fãs que estão há muito à espera de algo proveniente de Westeros, nem que sejam pequenos biscoitos de informação. Aqueles que gostam de mergulhar no mundo e saber toda a história por detrás, o que levou aos momentos dos livros que leram.
   Mas antes de pisarmos o campo da informação deixem-me primeiro falar sobre as ilustrações. Esta obra está repleta de ilustrações estrondosamente brilhantes. Desde dragões a paisagens, os ilustradores conseguiram dar vida a imensas personagens que só na nossa cabeça tinham um aspecto, e na maioria das vezes esse aspecto foi correspondido se não mesmo melhorado. As ilustrações parecem ganhar vida conforme vamos lendo a informação que está relacionada com ela. Só por estas imagens esta obra valeria a pena ser vista.
   E no entanto, a obra ainda tem outros pontos positivos. A escrita é toda feita não do ponto de vista dos autores e sim de um Meistre do mundo de Westeros, como se estivesse a fazer um compêndio da história do mundo. Essa mesma história poderia ser dividida em dois: toda a história quer sobre povos quer sobre o reino Targaryen até aos eventos do primeiro livro e uma descrição e história de cada reino de Westeros em pormenor, com breves descrições de outras terras.
   A primeira parte agradou-me muito mais, não só perceber como é que o continente tinha sido colonizado como a história da união dos Sete Reinos foi algo que estava muito bem escrito, eventos como a conquista de Aegon ou a Dança dos Dragões (embora este último tivesse partes iguais a um conto que li recentemente de George R. R. Martin). A segunda parte foi muito mais descritiva, e embora interessante houve partes que tinham demasiados detalhes. Em ambas as partes houve momentos onde queria livros e livros de George R. R. Martin que pudessem explorar mais como Yi Ti ou Asshai.
   É definitivamente uma obra para os fãs que queiram mais deste mundo. Não irão ficar desiludidos pois terão imensa informação por onde possam mergulhar e nadar. Não o aconselho a quem nunca tenha lido nada de A Guerra dos Tronos, este não é, de todo, um bom livro por onde começar a introduzir-se, pois terá demasiada complexidade.
   Boas Leituras... ;)
8.5/10

André