quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Histórias de Aventureiros e Patifes - Vários Autores

   "Há personagens malandras e sem escrúpulos cujo carisma e presença de espírito nos faz estimá-las mais do que devíamos. São patifes, mercenários e vigaristas com códigos de honra duvidosos mas que fazem de qualquer aventura uma delícia de ler.
   George R. R. Martin é um grande admirador desse tipo de personagens - ou não fosse ele o autor de A Guerra dos Tronos. Nesta monumental antologia, não só participa com um prefácio e um conto introduzindo uma das personagens mais canalhas da história de Westeros, como também a organiza com Gardner Dozois. Se é fã de literatura fantástica, vai deliciar-se!"

   Boas Leitores!
   Desta feita há vários autores a entrar em cena! E com eles grandes contos. Contamos com dez autores diferentes: Neil Gaiman, David W. Ball, Gillian Flynn, Paul Cornell, Scott Lynch, Phyllis Eisenstein, Joe R. Lansdale, Patrick Rothfuss, Connie Willis e George R. R. Martin. Esta é uma antologia que gira à volta de aventureiros e patifes (tal como o título sugere), e apesar de haver outras obras organizadas por George R. R. Martin e Gardner Dozois com títulos semelhantes como Histórias de Vigaristas e Canalhas estas obras não estão relacionadas umas com as outras.
   Como seria de esperar há contos que sobressaem muito mais ao leitor (ou pelo menos a mim) e que me conseguem capturar de forma fascinante, entre eles, os meus favoritos foram Neil Gaiman, Scott Lynch e Patrick Rothfuss. Este foi o meu pódio, sendo que o primeiro lugar seria muito difícil de dar. São contos extraordinários, Neil Gaiman com o mundo de Neverwhere, e Patrick Rothfuss com o seu mundo de As Crónicas do Regicida são contos que já têm uma base, mas podem perfeitamente ser lidos isoladamente. Já Scott Lynch dá um conto num qualquer universo que é só fantástico! A capacidade de escrita destes três leitores é extraordinária que conseguem capturar o leitor em menos de nada, mesmo com conceitos abstractos como estes três autores fizeram.
   Há muitos outros que estão bons mas, a meu ver, não ao nível destes três, e esses são George R. R. Martin, Gillian Flynn, Phyllis Eisenstein e Connie Willis. O primeiro por ser apenas pequenos doces de história de Westeros, um relato apenas, não tem um grande enredo ou novidade em si. Os outros são todos autores que ainda não li, mas que foi certo terem criado uma faísca de curiosidade em mim, e estarei atento a livros deles.
   Por fim, vêm os piores, David W. Ball, Paul Cornell e Joe R. Lansdale. Foram os contos que menos me apelaram e que estava em constante pensamento de "quero passar para o próximo, rápido.", por vezes era o enredo que não apelava, outros casos as personagens não pareciam ter nenhum impacto no leitor, e outras tantas quase não entendia o porquê daquela história estar incluída no livro.
   Em suma, é uma boa obra para conhecer novos autores e, em casos como Patrick Rothfuss, Neil Gaiman ou George R. R. Martin, ter mais conhecimento sobre os grandes universos que eles criaram, o que é sempre prazeroso.
   Boas Leituras... ;)
7.5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas