quarta-feira, 15 de novembro de 2017

E Se...? - Randall Munroe

   "Milhões de pessoas visitam XKCD.com todas as semanas para ler a vinheta de Randall Munroe. As suas figuras simples e desenhos minimalistas sobre ciência, tecnologia, amor e o sentido da vida têm uma vasta legião de seguidores.
   Fãs de XKCD colocam a Munroe imensas questões bizarras. E se tentasses bater uma bola de basebol lançada a 90% da velocidade da luz? Se houvesse um apocalipse robótico, quanto tempo duraria a Humanidade na Terra?
   Na busca de respostas, Munroe opera simulações de computador, analisa dossiês de pesquisa militar confidencial, resolve equações diferenciais e consulta operadores de reatores nucleares. As suas respostas são obras de arte de perspicácia e humor e normalmente preveem a absoluta aniquilação da Humanidade ou uma explosão inimaginável que arrase tudo!
   E se...? é uma leitura obrigatória para todos aqueles que adoram os grandes enigmas da vida, da ciência e, claro, perguntas tão absurdas quão divertidas."

   Boas Leitores!
   Fazemos esta semana uma pausa nos leitores portugueses para lermos uma obra ligeiramente diferente. Esta obra é mais um compêndio de questões absurdas com respostas científicas, não um romance de literatura fantástica. Como tal é um livro isolado que qualquer um poderia pegar, principalmente se é um daqueles leitores com o bichinho da ciência.
   Uma obra com uma grande vertente cómica, mesmo quando trata de ciência, um assunto que muitos acham aborrecido. Claro que as ilustrações são um ponto fulcral para que essa onda cómica atinja os leitores. Eu pelo menos vi-me por diversas vezes a rir ao ver ou ler um dos comics que o autor fazia.
   As perguntas por vezes interessantes, outras assustadoras (e ainda outras que me fazia questionar quem é que consegue imaginar aquele tipo de perguntas) são variadas e algumas até bem surpreendentes. As respostas, por outro lado, apesar de serem explicadas de forma acertada, onde qualquer pessoa que leia consiga entender, acabam por ser um pouco repetitivas na sua conclusão: tudo explode/morre. A culpa não é do autor, a ciência é assim e se os factos ditam aquilo, então não haveria volta a dar. Mas aposto que haveria uma variedade enorme de perguntas que não acabariam no mesmo corredor de pensamento.
   E acho que o autor sente o mesmo ao final do livro, quando chega à conclusão que é bom não destruir tudo constantemente. Acho que este é o único pormenor por onde a obra peca. Se tivesse perguntas mais variadas (a maior parte estava apenas no campo da física (onde o autor tem maior background), com uma ou outra a versar sobre química ou biologia) seria interessante de formas ainda mais absurdas.
   É definitivamente uma obra para quem tem a curiosidade de querer saber o que aconteceria caso as condições mais insólitas se reunissem. Aconselho.
   Boas Leituras... ;)
8/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas