quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A Filha do Capitão - José Rodrigues dos Santos

   "O capitão Afonso Brandão mudou a vida, quase sem o saber, numa fria noite de boleto, ao prender o olhar numa bela francesa de olhos verdes e voz de mel. O oficial comandava uma companhia da Brigada do Minho e estava havia apenas dois meses nas trincheiras de Flandres quando, durante o período de descanso, decidiu pernoitar num castelo perto de Armentières. Conheceu aí uma deslumbrante baronesa e entre eles nasceu uma atracção irresistível.
   Mas o seu amor iria enfrentar um duro teste. O Alto Comando Alemão, reunido em segredo em Mons, decidiu que chegara a hora de lançar a grande ofensiva para derrotar os aliados e ganhar a guerra e escolheu o vale de Lys como palco do ataque final. À sua espera, ignorando o terrível cataclismo prestes a desabar sobre si, encontrava-se o Corpo Expedicionário Português.
   Passado durante a odisseia trágica da participação portuguesa na primeira guerra mundial, o romance A Filha do Capitão narra-nos a inesquecível aventura de um punhado de soldados nas trincheiras da Flandres e conta-nos a paixão impossível entre um oficial português e uma bela francesa. Mais do que uma simples história de amor, esta é uma comovente narrativa sobre a amizade, mas também sobre a vida e a morte, sobre Deus e a contradição humana, sobre arte e a ciência, sobre o acaso e o destino.
   Com esta obra inesquecível, o grande romance está de volta às letras portuguesas."

   Boas Leitores!
   Há imenso tempo que não tínhamos uma leitura de um autor português (e agora vem uma catrefada deles, intercalados com autores estrangeiros e tal), e começamos esta tendência de leitura de autores portugueses com um dos mais famosos no nosso país, José Rodrigues dos Santos.
   Este é o oitavo livro do autor que leio. Alguns dos livros dele assemelham-se a Dan Brown, no sentido de ter uma personagem comum a alguns livros que são mais ou menos mistérios, mas onde cada obra pode ser lida isoladamente. Contudo, José Rodrigues dos Santos tem também vários livros isolados de variados temas. Dependendo do humor do leitor, estes podem ser bem recebidos caso se queira ler algo mais pesado ou menos "policial/mistério".
   O enredo do livro é extenso, começando na infância de dois jovens e indo até a vida adulta de ambos. Grande parte desta obra é passada, como diz a sinopse, na primeira guerra mundial. Mas que isso não vos demova. A sinopse diz também que neste livro não se fala só de amor ou de guerra e é bem verdade. Várias conversas entre personagens versam sobre imensos assuntos, e se querem uma leitura que vos faça pensar em questões essenciais à vida, mas que não seja o tema central do livro, então esta pode ser uma boa escolha.
   O desenvolvimento das personagens é boa para os protagonistas e algumas das personagens secundárias. Há imensas que são deixadas de lado, o que é normal, não se pode desenvolver todas as pessoas que entram na história. Mesmo assim há um par ou trio de personagens que achei uma falta de desenvolvimento, ainda para mais quando na história se passa assim tanto tempo desde o início ao fim.
   Não sei quanta pesquisa o autor fez para introduzir nesta história os conceitos e factos que introduz. Mas o certo é que o autor consegue não só dar um contexto da participação portuguesa na guerra como também mostrar o que se passava ao mesmo tempo em Portugal que estava em constante mudança e que, consequentemente, alterava também os planos na guerra. Foi um facto que gostei (mas aqui talvez entre a minha falta de livros sobre a primeira guerra mundial e o papel de Portugal nela).
   É uma obra interessante e que, como disse antes, pode apelar a um certo público que queira algo mais sério com um toque de romantismo (não muito forte e às vezes imprevisível).
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas