domingo, 30 de abril de 2017

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - John Tiffany, Jack Thorne & J. K. Rowling

   "Baseada numa nova história de J.K. Rowling, John Tiffany e Jack Thorne, Harry Potter e a Criança Amaldiçoada- a nova peça de teatro de Jack Thorne -, cuja estreia mundial decorreu no West End, em Londres, no passado dia 30 de julho, é a primeira história oficial de Harry Potter a ser apresentada na versão teatral.
   Foi sempre difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele se tornou num muito atarefado funcionário do Ministério da Magia, casado e pais de três crianças em idade escolar.
Enquanto Harry luta com um passado que se recusa a ficar para trás, o seu filho mais novo, Albus, tem de se debater com o peso de um legado que nunca desejou. Quando o passado e o presente se cruzam, pai e filho confrontam-se com uma desconfortável verdade: por vezes as trevas vêm de lugares inesperados."

   Boas Leitores!
   Aqui temos uma obra fantástica, que possivelmente muitos de vós já leram, mas eu só tive oportunidade de a ler agora. Para os que não leram, então podem ler esta opinião com mais avidez para tomarem a derradeira decisão de ler ou não.
   Pequeno briefing: esta é a obra de Harry Potter que muitos fãs andavam à espera. Considerada a oitava obra da saga, apesar deste ponto ser um pouco discordante entre os leitores, eu mesmo não sei se consideraria como um oitavo volume. Para mim, seria mais um spin-off. Outro pequeno pormenor deste livro é que não é uma prosa, mas sim um guião da peça de teatro com o mesmo nome, ou seja, vão ver aqueles típicos detalhes deste tipo de texto "Harry disse", "Caminharam para o outro lado, enquanto as luzes piscavam" ou algo deste género.
   Não é um ponto negativo, ou melhor, talvez seja um ponto negativo para alguns, mas para mim não o foi. De início claro que foi estranho, raros foram os guiões que li, mas é como o ditado "primeiro estranha-se depois entranha-se" e quando dei por mim já nem notava esses pequenos detalhes. E o certo é que um texto assim é mais rápido de se ler.
   Quanto a enredo, e a razão pela qual digo que devia ser considerado um spin-off, é um bom enredo, envolvendo questões boas. Claro que personagens como Harry, Ron e Hermione tinham de aparecer, mas os protagonistas desta obra são os filhos deles, com um objetivo diferente de matar Voldemort. Daí não ser "Harry Potter e" mas sim "Os filhos deles fazem x".
   O que importa é que os autores conseguiram entregar uma obra que deu para recordar um pouco o mundo de Hogwarts e ser divertida de se ler ao mesmo tempo que tem os seus momentos mais sérios, e outros um pouco clichés (esta última parte teria de ser essencial ao teatro, mas como o livro não existiria sem a peça, teremos que aceitar tudo o que vem nela).
   As personagens estão até bem desenvolvidas num livro relativamente curto. E deve ter sido complicado, considerando que existem imensas personagens a aparecerem.
   Para os fãs de Harry Potter, aqueles poucos que ainda não leram, go ahead e leiam esta obra, não se vão arrepender. Os que não são fãs do rapaz feiticeiro, talvez gostem do livro por outras questões que poderão surgir, vale a pena.
   Boas Leituras... ;)
8/10

André

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Soul Eater vol.17 - Atsushi Ohkubo

   "The enemy of my enemy is...still my enemy?! As the madness of the Kishin continues to threaten the world, Noah and Medusa race to find Asura and ally themselves with him. With Noah reliant on demon tools and Medusa on her experimental black blood, DWMA must devise ways to combat both evils while trying to seek and destroy Asura themselves!"

   Boas Leitores!
   E esta semana temos a opinião de mais um mangá de Soul Eater, o 17º volume! Mais oito e acabará esta saga.
   Volume composto por cinco capítulos, sendo que o último deles é o início de um arco que parece ser bem comprido, até porque centra-se numa parte muito importante do enredo. No entanto, é só o último capítulo, os outros quatro vão dando pistas sobre o que estará para acontecer das várias frontes que existem. Quer do lado das bruxas, quer do lado da DWMA ou ainda do lado do Kid. Isso é, certamente, um ponto positivo para os leitores terem uma noção de tudo o que está para acontecer na história.
   Apesar disso, sinto que não há um foco nos protagonistas, mas sim nos desenrolar da história, não a um ritmo acelerado. Ou seja, os protagonistas aparecem, mas não fazem grande coisa, consequentemente não me faz querer saber mais deles ou querer ver a sua evolução. Há maior ribalta para personagens não-principais, mas que não me despertam tanto o interesse.
   A arte continua com o seu estilo estranho, mas bom para o género que é. Com toque especial em tudo o que se relaciona com loucura. Pontos extra por isso.
   A ver quantos capítulos durará o próximo arco e se valerá a pena a sua extensão. Até lá, caso queiram saber mais sobre esta saga, basta seguirem o link: Crítica - Soul Eater vol.16
   Boas Leituras... ;)
6.5/10

André

terça-feira, 18 de abril de 2017

A Rainha no Palácio das Correntes de Ar - Stieg Larsson

 "Lisbeth Salander sobreviveu aos ferimentos de que foi vítima, mas não tem razões para sorrir: o seu estado de saúde inspira cuidados e terá de permanecer várias semanas no hospital, completamente impossibilitada de se movimentar e agir. As acusações que recaem sobre ela levaram a polícia a mantê-la incontactável. Lisbeth sente-se sitiada e, como se isto não bastasse, vê-se ainda confrontada com outro problema: o pai, que a odeia e que ela feriu à machadada, encontra-se no mesmo hospital com ferimentos menos graves e intenções mais maquiavélicas… 
   Entretanto, mantêm-se as movimentações secretas de alguns elementos da Säpo, a polícia de segurança sueca. Para se manter incógnita, esta gente que actua na sombra está determinada a eliminar todos os que se atravessam no seu caminho. Mas nem tudo podia ser mau: Lisbeth pode contar com Mikael Blomkvist que, para a ilibar, prepara um artigo sobre a conspiração que visa silenciá-la para sempre. E Mikael Blomkvist também não está sozinho nesta cruzada: Dragan Armanskij, o inspector Bublanski, Anika Gianini, entre outros, unem esforços para que se faça justiça. E Erika Berger? Será que Mikael pode contar com a sua ajuda, agora que também ela está a ser ameaçada? E quem é Rosa Figuerola, a bela mulher que seduz Mikael Blomkvist?"

   Boas Leitores!
   Antes de mais, tenho de pedir o vosso perdão por não ter dado qualquer notícia aqui no blogue durante um mês. Uma vida caótica e cheia de desafios levou-me a perder um pouco o contacto com este meu hobbie. Mas não que a leitura tenha sido prejudicada. Verão que nas próximas semanas as opiniões vão surgir a um ritmo adequado (pelo menos durante um mês, veremos depois disso).
   Falemos então da obra a que estamos a opinar. Último volume do que era a trilogia Millennium (que deixou de ser uma trilogia há bem pouco tempo, com o aparecimento de um quarto volume escrito por outro autor). Como não foi planeado o aparecimento do quarto volume, este terceiro tem tudo para ser considerado o fechar da história.
   E digo-vos já que a sinopse não faz jus à história. Eu até achava as obras anteriores relativamente boas, mas acho que este último volume melhorou em muito! Deixou de ser um policial como muitos que já li, mas não deixou de ser policial.
   O que aconteceu foi um alterar da história que foi feito gradualmente ao longo de toda a trilogia, mas de que o autor só se apercebe completamente neste último volume. De repente da-mo-nos conta do grande plano elaborado desde a primeira página e ficamos boquiabertos com cada revelação.
   Por outro lado, para quem mesmo assim gosta dos policiais clássicos, continua a haver como que uma "side-story" que vai agradar a esse público. E tenho de admitir que mesmo a mim, essa história à parte estava a interessar-me pela forma como me agarrava e criava tensão.
   O julgamento final foi, para mim, a melhor parte desta obra. Sempre tive um pequeno interesse por justiça e julgamentos, por isso, ler um que estava rodeado de tanta polémica, e da qual estava a torcer por certas personagens, tornou ainda mais interessante. E o autor foi brilhante na forma como conseguiu desenvolver tudo.
   É uma obra que vale bem a pena lê-la. E se são fãs de policiais, então esta é possivelmente uma das melhores escolhas para vocês. Caso queiram saber mais sobre a trilogia, podem clicar no seguinte link, que vos levará ao volume anterior: Crítica - A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo.
   Boas Leituras... ;)
9/10

André

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Booking Through Thursday - Leitura

   Desculpem, tem passado tanto tempo!
   Portanto, aqui vai uma pergunta simples:
   O que é que tens lido ultimamente?

   André: Esta pergunta é realmente fácil. Tenho lido Soul Eater, contos do grupo Fantasy & Co e também livros fantásticos como Harry Potter e a Criança Amaldiçoada. A obra que estou a ler neste momento é algo maravilhoso: Winter's Heart o nono volume da saga Wheel of Time.