terça-feira, 8 de novembro de 2016

Guerra e Paz - Livro IV - Lev Tolstói

   "Considerado como um dos nomes maiores da literatura, este escritor, filósofo, pedagogo e até profeta, foi um defensor acérrimo das minorias e dos mais desfavorecidos, e um dos primeiros a insurgir-se contra a escravatura. Apesar das muitas perseguições a que foi sujeito, Tolstói encontrou na escrita um refúgio e foi de forma sábia que abordou temas tão inquietantes quanto complexos.
   Entre 1865 e 1869 escreveu e publicou aquela que é talvez a sua obra-prima e uma das maiores criações literárias de sempre: Guerra e Paz. Tendo como pano de fundo um cenário de guerra, com a invasão da Rússia por parte das tropas Napoleónicas, esta novela épica apoia-se em episódios ficcionais e históricos sobre aquele país, num momento de profunda convulsão. Tolstói deixou-nos um valiosíssimo legado literário e o seu nome perfila ao lado de outros grandes vultos como Shakespeare ou Homero."

   Boas Leitores!
   Aqui está o final de uma grande obra que é conhecida pelos quatro cantos do mundo. E apesar de ser considerado apenas um livro, esta edição está dividida em quatro, conclusão: demoro imenso tempo a acabar como todas as minhas colecções.
   Mas já está terminada, e digo desde já que foi em estrondo. Apesar de ser um livro pequeno, tem mais de quatrocentas páginas, do qual diria 1/4 já não é propriamente história mas sim um epílogo da parte do autor em que explica e tenta dar a entender o que é o poder e como é que se deve ser recordada a história.
   Mas falemos primeiro do restante da história que estava inacabada no terceiro volume. É excelente, não só pelas mudanças psicológicas das personagens como a explicação da queda do exército de Napoleão e a vitória da Rússia quando nada faria prever que assim aconteceria.
   Claro que há certas descrições um pouco maiores que levam à perda de interesse do leitor, mas rapidamente esse interesse volta quando há as cenas emocionantes sempre a acontecer como aconteceu neste volume. A morte e a mudança são duas constantes da vida, e este livro representa-o bem!
   O epílogo da história, apesar de ainda ser um pouco grande, traz uma certa conclusão à história que dá indícios do que poderá ter acontecido nos anos seguintes, coisa que o autor saberá ao perceber as datas que o autor dá e as datas de marcos históricos.
   Quanto à segunda parte aparece num registo de tal forma diferente que nos deixa um pouco perplexos. Mas o divagar do autor e a sua forma de pensar agarra-nos e não nos deixa fugir, isso é certo. E faz o que deve fazer melhor, põe-nos a pensar sobre as suas palavras e a sua forma de ver o mundo naquela altura (e que ainda se aplica aos dias de hoje).
   É uma conclusão acertada para a obra que é e que atinge as expectativas, apesar da extensa leitura que é a junção dos quatro volumes desta edição. Caso queiram saber mais sobre a minha opinião ao livro anterior, sigam o link: Crítica - Guerra e Paz - Livro III
   Boas Leituras... ;)
8.5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas