domingo, 18 de setembro de 2016

A Marca das Runas - Joanne Harris

   "Maddy Smith nasceu com uma marca que ditou o seu destino. A runa inscrita na sua pele é um símbolo dos Antigos Deuses, uma marca mágica. E perigosa.
   Na pequena aldeia onde vive todos a receiam e excluem. Mas Maddy não renega a sua sorte. Pelo contrário, ela adora magia. Mesmo que isso a condene à solidão.
   Quinhentos anos passaram desde Ragnarók - o flagelo que marcou o Fim dos Tempos -, e a Nova Ordem impôs regras que ditam o aniquilamento do Caos, da Magia, dos Sonhos e da Imaginação.
   À medida que os seus feitiços ficam cada vez mais fortes, Maddy sabe que será apenas uma questão de tempo até os Examinadores da Ordem a identificarem e perseguirem. E tempo é algo que o Mundo não tem... agora que a ameaça de destruição é cada vez mais real.
   Isolada, Maddy pode apenas contar com o ancião seu mentor, que lhe dá a conhecer as lendas nórdicas, com os seus deuses e criaturas maravilhosas. Invisível para a maioria das pessoas, este Mundo Subterrâneo encerra a chave do seu passado. Dela depende o destino do Mundo, mais uma vez..."

   Boas Leitores...
   Isto tem andado muito parado por estes dias, mas esta semana é a valer! Por enquanto temos este livro, que não foi lido recentemente, mas sim já há muitos anos. Como em breve acabarei de ler o segundo desta "duologia" achei por bem publicar uma pequena opinião acerca deste primeiro volume.
   É um livro de fantasia que tem enraizado muita da mitologia nórdica, com os seus deuses, criaturas e escrita, as famosas runas. É uma junção curiosa mas que consegue surtir o seu efeito de forma positiva.
   No seu ambiente meio infanto-juvenil, esta obra li-a perto dos meus quinze anos e depois mais tarde novamente, mas lembro-me que achava a história cheia de surpresas e magia. Era uma aventura numa das coisas que mais adoro que são mitologias. Lógico que, quando crianças, achamos muito mais piada às coisas, mas o certo é que mais tarde quando reli a história, continuou a ter aquele encanto juvenil e a ser uma aventura (um pouco menos imprevisível, mas mesmo assim com os seus plot twists muito bem pensados).
   Não existe um grande desenvolvimento de personagens, mas também não sei até que ponto queremos desenvolver a personalidade de deuses. Mas isso não é perda nenhuma de qualidade.
   Tem um enredo interessante e que nos leva a viajar por todos os mundos, descrito de formas muito boas.
   O grande erro que tenho a apontar nesta obra é a capa. Acho que não tem absolutamente nada a ver com o que a história é. Esta capa dá apenas a sensação de mais um daqueles romances comerciais com uma história totalmente previsível. A capa anterior era melhor do que esta.
   Para quem tem aquele interesse especial por mitologia nórdica então esta é uma obra que possivelmente gostarão visto que grande parte das personagens está fiel à mitologia, o que demonstra pelo menos o mínimo de esforço da autora de estudar sobre o que escreve.
   Boas Leituras... ;)
7.5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas