quarta-feira, 27 de abril de 2016

The City & The City - China Miéville

   "China Miéville delivers his most accomplished novel yet, an existencial thriller taken to dazzling metaphysical and artistic heights.
   When the body of a murdered woman is found in the extraordinary decaying city of Beszel, somewhere at the edge of Europe, it looks like a routine case for Inspector Tyador Borlú of the Extreme Crime Squad. But, as he probes, the evidence begins to point to conspiracies far stranger, and more deadly, than anything he could have imagined. Soon his work puts him and those he cares for in danger, and Borlú must travel to the only metropolis on Earth as strange as his own, across a border like no other."

   Hey readers!
   As semanas passam rápido demais quanto à leitura, e como tal os livros vão sendo lidos devagar. O que não é mau, este é um exemplo disso! Livro isolado, do mesmo autor de Un Lun Dun que foi lido há relativamente pouco tempo. No entanto esta obra foi vencedora de um dos melhores prémios de fantasia/ficção científica que são os prémios Hugo e foi dos nomeados para os prémios Nebula.
   Será que toda esta comoção dos prémios à volta desta obra é justificada? Em parte sim, é uma obra estranha, mas interessante. Ao jeito de China Miéville, pelo menos do outro livro que li dele, deixa os leitores no início um pouco baralhados pelo facto da história parecer passar-se num mundo igual ao nosso, mas depois haver vários elementos completamente contrários ao que se espera. Durante toda a história, o leitor tem a sensação que está numa qualquer cidade da Europa, igual a tantas outras, mas depois parece que não é de todo este planeta.
   O enredo por isso torna-se interessante, introduz conceitos como "desver" algo que o leitor não percebe bem ao início mas acaba por entranhar o conceito e até entender que por vezes isso acontece no nosso mundo. E isso é uma parte boa de toda a obra, é que no fundo há várias pontes entre este livro e o nosso mundo e que mostram a natureza humana.
   Quanto a nível de personagens, foi um pouco fraco. Tirando o protagonista, não se criou qualquer outra ligação com as personagens. Isso reflectiu-se depois no final da história, onde um policial atinge o climáx quando se descobre o culpado por detrás de tudo e o leitor fica "ah ok, então era este" que foi um pouco o que senti.
   E finalmente, o outro ponto menos bom foi o de ter sido um policial. Houve partes que eram consideradas ficção claro, mas a obra em si consideraria um policial e não uma obra de fantasia ou ficção científica.
   Apesar disso, não deixa de ser uma obra muito boa e que aconselho a lerem, é pena não termos edições em português, pelo que terão de se contentar em ler noutra língua.
   Boas Leituras... ;)
8/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas