quinta-feira, 17 de março de 2016

Sangue Felino - Charlaine Harris

   "Uma grande mudança social está a afectar toda a humanidade. Os vampiros acabaram de ser reconhecidos como cidadãos. Após a criação em laboratório, de um sangue sintético comercializável e inofensivo, eles deixaram de ter que se alimentar de sangue humano. Mas o novo direito de cidadania traz muitas outras mudanças...
   Traída pelo seu namorado vampiro de longa data, Sookie Stackhouse, empregada de bar do Louisiana, vê-se obrigada não apenas a lidar com um possível novo homem na sua vida (Quinn, um metamorfo muito atraente), mas também com uma cimeira de vampiros há muito agendada. Com o seu poder enfraquecido pelos estragos do furacão em Nova Orleães, a rainha dos vampiros locais encontra-se em posição vulnerável perante todos aqueles que anseiam roubar o seu poder. Sookie vê-se obrigada a decidir de que lado ficará. E a sua escolha poderá significar a diferença entre a sobrevivência e a catástrofe completa..."

   Boas leitores!
   Esta é outra daquelas colecções que só leio a cada dois anos ou assim. O sexto volume da saga Sangue Fresco foi lido em 2013, e quase três anos depois finalmente li o sétimo volume. Talvez daqui a uma década ou assim acabe a colecção que tem treze obras (pelo menos já passei metade).
   No livro anterior a minha opinião pela saga não era das melhores. E querem tentar advinhar? Continua a não ser grande espingarda. Agora pelo menos a sinopse fala realmente do que se passa no livro, isso é um ponto positivo para esta obra. Mas deve ser dos poucos.
   A escrita continua demasiado superficial e muitas vezes sem sentido. Não é tão má quanto a autora de As Cinquenta Sombras de Grey, mas não é claramente uma grande autora. A parte principal da obra, que é o romance, não está muito retratado, mas mais os conflitos amorosos quando se tem vários pretendentes, e consequentemente várias fontes de ciúmes.
   Quanto ao enredo em si, podia ser descrito em cerca de 100 páginas (das 280 que o livro tem), o que é que isto significa? Muita palha lá metida. Depois acaba de forma completamente insatisfatória, sem qualquer cliffhanger que faça o leitor querer mais e mais das obras. Não fossem os casos amorosos não resolvidos, pensaria que a obra estaria no seu fim com uma lição aprendida.
   As personagens nem vale a pena falar muito visto que há um constante aparecer e desaparecer de personagens que não criam qualquer ligação com o autor. A única constante é a protagonista, Sookie que continuamos muitas vezes sem perceber metade do que ela pensa, mesmo sendo uma narradora activa.
   Não é um grande livro, nem eu pensava que o fosse. A saga não está a ficar melhor, por isso acho que não esperarei nada dos próximos volumes, quando os ler (o que poderá ser só daqui a muitos anos). Caso queiram saber mais sobre os volumes anteriores, basta clicarem no seguinte link: Crítica - Traição de Sangue
   Boas Leituras... ;)
4/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas