sábado, 27 de fevereiro de 2016

O Verdadeiro Dr. Fausto - Michael Swanwick

   "A lenda diz que Fausto vendeu a alma ao Diabo em troca de conhecimento ilimitado. Nesta brilhante subversão do mito faustiano por Michael Swanwick, Fausto está em guerra com Deus por ocultar dos humanos o sentido da vida, e deixa-se tentar pelo demónio sedutor que lhe oferece os segredos do voo e do cosmos, os princípios de economia e engenharia, os mistérios da medicina e do átomo.
   Assim se inicia a transição de Fausto de louco a salvador, ao acelerar o progresso humano e precipitar uma nova era de mecanização centenas de anos antes do seu tempo. Mas é então que surge Margaret Reinhardt, e o amor monta uma armadilha a Fausto. Conseguirá o seu amor por Margaret sobreviver incólume à brutalidade e ganância de um mundo que caminha rapidamente para o caos... ou algo pior?"

   Boas Leitores!
   Mais uma obra diferente aqui para o blogue, desta vez de um autor que já foi vencedor dos prémios Hugo e Nebula, para quem não sabe, são dos maiores prémios da fantasia e ficção científica (até devia pegar mais nos vencedores destes prémios, eles merecem!). Não foi com esta obra que Michael Swanwick ganhou os prémios, mas sendo este o único livro publicado cá em Portugal dele decidi tentar.
   É uma leitura estranha, mas que nos leva a pensar várias vezes. Não só em conceitos que nos põem um pouco alienados do mundo como também da possibilidade do mundo ter sido tão diferente se as descobertas científicas mais importantes tivessem sido feitas muitos anos antes. Algumas chegamos à conclusão que teriam a mesma recepção, desdém e ridicularização como no nosso mundo, mas outras talvez fossem muito mais apreciadas.
   Achei grande parte do livro interessante e pode ver-se como ao longo da obra, quanto mais conhecimento Fausto ganha mais vai percebendo que isso o distorce, ou distorce a maneira como vê o mundo e as pessoas. Mas quando chegou à parte do romance, principalmente onde se via a perspectiva de Margaret, o entusiasmo do livro perdeu-se um pouco, deixou de ser a um passo tão rápido quanto antes e também passou a colocar outro tipo de questões ao leitor.
   Algo engraçado foi que não houve um grande desenvolvimento da personagem do Fausto, mas tornou-se o protagonista que o leitor se preocupa e quer saber mais. Acho que parte disso se deveu a uma boa escrita do autor. Tirando as partes em que metia dezenas de termos científicos para dar ênfase aos conceitos completamente estranhos da altura.
   O final tornou-se um pouco pobre para mim, esperei algo que acabasse como o tal "demónio" previra, mas de forma enorme e apocalíptica. Também esperava que a sociedade fictícia avançasse até perto da actualidade ou talvez até depois para ver como é que o autor deixaria as coisas correrem.
   É interessante e fiquei deveras curioso para ler a sua obra vencedora dos prémios de fantasia, talvez um dia pegue nele.
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas