domingo, 10 de janeiro de 2016

Justiça de Kushiel - Jacqueline Carey

   "Kushiel barra o caminho de Phèdre, severo e ameaçador. Numa mão, segura uma chave de bronze, e na outra... um diamante, enfiado num cordão de veludo.
   Phèdre nó Delaunay, a eleita dos deuses para suportar um indizível sofrimento com infinita compaixão é a vítima perfeita, a "oferenda sem igual" cuja profanação assegurará a ascendência de Angra Mainyu, O Senhor das Trevas.
   A morrer, pensa Phèdre, será às mãos do amor. Mas o amor é uma força assombrosa, e amor há que desafia todas as probabilidades...
   E o Amor reina em força neste volume pungente, a encerrar a saga de Kushiel. O amor de Joscelin por Phèdre, seu Companheiro Perfeito que tudo dá por ela. O amor de Phèdre pela sua rainha, que quer Imriel de la Courcel de volta, o amor de Phèdre por Hyacinthe, seu único e verdadeiro amigo, amor de Phèdre por Imriel, apenas amor simples e destituído de adornos.
   O Lungo Drom de Phèdre e Joscelin continua, por um lendário rio abaixo até uma terra esquecida de todo o mundo. E até um poder tão imenso que ninguém ousa proferir o seu nome.
   Ousará Phèdre? Ousará Phèdre receber o Nome de Deus e com ele obrigar a que libertem Hyacinthe? "Para receber o Seu Nome", instruiu o místico yeshuíta Eleazar ben Enokh, "d'Ele nos devemos acercar em perfeita confiança e amor, do nosso ser fazer um receptáculo onde o nosso ser não esteja." Logrará Phèdre fazê-lo?"

   Boas Leitores!
   Chegamos finalmente ao último livro d'A Saga de Kushiel! O sexto volume acaba agora esta grande colecção que esteve em aberto no blogue por vários anos.
   Felizmente esta obra melhorou muito em comparação com o anterior que li há mais de um ano e que me tinha desiludido sobremaneira. Neste a acção desenrola-se mais depressa (mas mesmo assim não há grande acção). Grande parte do livro é passado com descrições sobre onde estiveram e como eram as paisagens, principalmente do homólogo de África.
   No entanto a autora conseguiu dar por terminados todos os pontos soltos que havia. Quer fossem aventuras inacabadas, ou simplesmente pormenores das personagens que tinham ficado ainda por desvendar aconteceram neste livro. Claro que houve pormenores que foram delicadamente deixados em aberto para uma possível futura saga.
   Contudo, continuou a haver certas partes que não faziam qualquer sentido para mim, nomeadamente partes que critiquei também no volume anterior, mas essa é a minha modesta opinião, que aposto que será contrária à de tantas outras pessoas.
   É uma leitura rápida, não só por ter cerca de 280 páginas mas também pela escrita da autora ser de fácil leitura que não esgota o leitor num ápice. As partes sexuais continuaram com a qualidade que já tinha afirmado que a autora tem (milhares de vezes superiores a E. L. James), mas curiosamente não houve partes de violência que eram comuns nestas obras, não que devesse haver, acho que a história como está contada neste último volume está bem assim.
   Se tiverem curiosidade nesta saga, e quiserem saber mais, é só irem clicando nos links de cada opinião: Crítica - Avatar de Kushiel
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas