domingo, 15 de novembro de 2015

A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo - Stieg Larsson

   "Depois de uma longa estada no estrangeiro, Lisbeth Salander regressa à Suécia, cede o pequeno apartamento onde vivia à sua amiga Miriam Wu, e instala-se luxuosamente numa zona nobre da cidade. Pela primeira vez na vida é economicamente independente, mas cedo percebe que o dinheiro não é tudo: não tem amigos nem família e está só.
   Mikael Blomkvist, que tentara contactar Lisbeth Salander durante meses, sem sucesso, desiste e concentra-se no trabalho. À Millenium chegou material para uma notícia explosiva: o jornalista Dag Svensson e a sua companheira Mia Johansson entregam na editora dois documentos que provam o envolvimento de personalidades importantes numa rede de tráfico de mulheres para exploração sexual. Quando Dag e Mia são brutalmente assassinados, todos os indícios recolhidos no local do crime apontam um suspeito: Lisbeth Salander. O seu passado sombrio e pouco convencional não abona a favor da sua imagem e a polícia move-lhe uma implacável perseguição. Lisbeth Salander, que está disposta a romper de vez com o passado e a punir aqueles que a prejudicaram, tem agora de provar a sua inocência e só uma pessoa parece disposta a ajudá-la: Mikael Blomkvist que, apesar de todas as evidências, se recusa a acreditar na sua culpabilidade."

   Boas leitores...
   Já demorava a aparecer uma nova opinião por aqui, não é? Aqui está a opinião do segundo livro da famosa tetralogia (até à pouco tempo era apenas uma trilogia) Millenium, dos quais já estão todos os livros publicados em português.
   É um policial, com uma escrita bastante fluída sem ser demasiado simples. No entanto como policial acho que prolonga-se demasiado até que haja o "despoletar inicial". O que é isto? É normalmente o primeiro crime que põe as engrenagens da perseguição/investigação policial a correr. O autor faz bem o enquadramento e vai construindo o cenário ao longo da narrativa, mas torna-se demasiado extensa até que ocorra algo.
   Mas por outro lado, as surpresas que este género tende a dar (ou não quando se torna previsível) foram cumpridas nesta obra. Os plot-twists que se arranjam são bons e surpreendentes.
   O desenvolvimento de algumas personagens, nomeadamente da protagonista está bem feito, detalhado mas não aborrecido. O autor vai dando as informações de vez em quando como pequenas recompensas em vez de ser tudo em catadupa.
   Em relação ao primeiro livro acho que esteve um pouco melhor. Pelo menos o mistério prolongou-se ao longo do livro com diversas coisas a acontecer e não apenas pesquisa para descobrir o "mau da fita".
   O final teve apenas um ligeiro problema, havia algumas pontas soltas que ficaram sem ser resolvidas. Será que isto será explicado no próximo volume, ou será propositado? É que do primeiro para o segundo pareceu-me apenas que era outra "aventura" com as mesmas personagens e não propriamente a continuação, tanto que a ação deste ocorre um ano depois. Estou a ver que a resposta para essa pergunta seria ler o terceiro volume... Tenho de ver se o arranjo para saber mais sobre estas personagens.
   Se quiserem saber mais sobre o livro anterior, basta seguirem o link: Crítica - Os Homens que Odeiam as Mulheres
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas