sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Vagas de Fogo - Filipe Faria


   "As Crónicas de Allaryia são já um clássico da high fantasy portuguesa, aproximando-se, com este quinto volume, do furioso climáx da odisseia iniciada cinco anos atrás. As hostes d'O Flagelo despertaram do seu torpor e estão de novo à solta no continente. A Cidadela da Lâmina foi arrasada. Sirulia foi posta a ferro e fogo. Aves de mau agouro sobrevoam Nolwyn, enquanto Ul-Thoryn começa os preparativos de guerra contra Vaul-Syrith. Neste novo capítulo das Crónicas de Allaryia, os companheiros que deram início a uma quase ingénua demanda n'A Manopla de Karasthan estão separados, perdidos, desesperançados. Embora poucos o saibam, a esperança reside em Aewyre Thoryn, mas cada um dos companheiros terá um papel a desempenhar no vindouro conflito, encontrando-se porém privados do poder da sua união. Perseguidos por algozes do seu passado, deixados à deriva em terras desconhecidas, ou aprisionados entre inimigos que julgavam amigos, vêem-se confrontados com a iminente imersão de Allaryia nas trevas que todos já julgavam desbaratadas. Porém, Seltor, o percursor destas, aprendeu com os erros do passado e os seus propósitos não mais parecem os mesmos; ou pelo menos, não aparentam de todo ser o que dele se espera..."

   Olá leitores!!!
   Tanto tempo depois da última opinião... Mas agora cá está uma nova... E compreende-se o tempo agora, não é? Este é o quinto volume da saga Crónicas de Allaryia que em breve terminará!
   O que tenho a dizer sobre esta obra? Pois bem, inicialmente estava a gostar, até porque pensei que o problema que sempre refiro sobre este autor, que é os parágrafos gigantescos em partes de batalhas que fazem o leitor acabar por perder a noção do que está a ler (como esta frase que acabei de formar, mas em ponto de parágrafo), não estavam a existir. Até fiquei feliz por isso... Demasiado cedo.
   Não só começaram a aparecer outra vez parágrafos do tamanho de uma página ou perto disso, como também a história não se desenvolveu para tal. Foi um ritmo demasiado lento para um livro demasiado grande. Senti que havia muitas coisas desnecessárias ou que poderiam ter sido resumidas para acelerar a leitura.
   Só o início e o fim é que realmente gostei de ler e foi porque foram as alturas em que a taxa de acontecimentos chave foi maior. A não ser um ou dois capítulos que eram pequenos e encontravam-se meios espalhados pelo livro que era quando Seltor aparecia e fazia das suas. Esses capítulos achei muito bons, geniais mesmo!
   O desenvolvimento da maior parte das personagens continua bom, temi que houvessem duas que estivessem a perder essa característica mas no fim, lá está mais uma vez acontecimentos no final do livro, o autor conseguiu resolver bem, justificando de forma excelente.
   Para um livro de quase 600 páginas acho que 400 ficaria muito melhor. Esperemos que o próximo volume seja assim, compacto e com uma escrita muito boa (e com mais capítulos do género que havia neste volume com Seltor).
   Se quiserem ver a minha opinião sobre o 4º volume desta saga, então basta clicarem no link seguinte: Crítica - A Essência da Lâmina
   Boas Leituras... ;)
6/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas