domingo, 20 de setembro de 2015

A Essência da Lâmina - Filipe Faria

   "Pearnon, o Escriba, continua zelosamente a contar a história de um mundo que um dia foi seu, ao longo de incontáveis e conturbadas Eras desde a sua criação. No livro anterior, a dolorosa e sangrenta demanda que levou Aewyre Thoryn e os seus companheiros através de Allaryia, saldou-se numa pesada derrota, apesar de terem conseguido escorraçar os exércitos de Asmodeon, pois O Flagelo regressou das sombras. Agora que o pai de Aewyre morreu para salvar o próprio filho, este parte para a Cidadela da Lâmina, um inquietante local de segredos ocultos. O jovem príncipe terá de aprender a dominar a Essência da Lâmina, que partilha com Kror, ou lutar por ela com o drahreg num combate até à morte. Perigos milenares penetram insidiosamente uma vez mais em Allaryia, as tramas urdidas pel'O Flagelo começam finalmente a revelar-se e os pesadelos passados ameaçam tornar-se um perigo muito real no presente. A única esperança reside no êxito que Aewyre e os seus companheiros obtiveram nas suas missões. Mas será possível vencer entidades tão superiores às suas forças? Este é o quarto volume das Crónicas de Allaryia, um mundo fabuloso e mágico, genial criação de Filipe Faria."

   Olá pessoal!
   Já cá faltava uma nova opinião, não era? Este blogue tem andado pacato, início de aulas e tal, confusão de hábitos novos. Mas aqui está e isso é que interessa! Como diz na sinopse este é o quarto livro das Crónicas de Allaryia dos sete que existem e que compõem a saga.
   Quanto à minha opinião é composta em parte por aquilo que já disse antes, nas opiniões dos livros anteriores desta saga. O livro tem uma grande capacidade de ser um excelente livro. Um enredo bom, um desenvolvimento das personagens aceitável e pitadas de mistério, suspanse, batalhas, romance entre outros.
   Mas peca pela mesma razão de sempre, a descrição exaustiva, principalmente nas batalhas. Os parágrafos chegam a ter página e meia se não mais. Como leitor isto torna-se cansativo principalmente por chegar a meio do parágrafo e já não perceber bem o que está a acontecer, o que resulta em ter de ler novamente. Acho que quando se trata de duelos, batalhas, guerras deve haver boas descrições, mas em pequenos parágrafos, torna mais fluído mas calmo e não fluído do género "tudo está a acontecer neste momento e não consigo encontrar-me aqui".
   Tirando este ponto acho que o enredo está a crescer e a tornar-se muito bom e espero que os próximos volumes desenvolvam ainda mais para atingir um clímax espectacular. A estratégia de espalhar as personagens e envolve-las em diferentes enredos também foi inteligente, faz com que o leitor não se canse das mesmas personagens e acabe por ansiar por determinado enredo.
   Duvido que a escrita do autor mude, mas espero que pelo menos a qualidade do livro não diminua nos próximos volumes. Se quiserem saber mais sobre esta saga, podem ver a opinião do livro anterior por este link: Crítica - Marés Negras
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas