terça-feira, 25 de agosto de 2015

Os Pilares do Mundo - Anne Bishop

   "Ari, a última descendente de uma longa linhagem de bruxas, pressente que o mundo está a mudar... e está a mudar para pior. Há várias gerações que ela e outras como ela zelam pelos Lugares Antigos, assegurando-se de que o território se mantém seguro e os solos férteis. No entanto, com a chegada da primeira Lua Cheia do Verão, as relações com os seus vizinhos azedam-se. Ari já não está segura.
   Há muito que o povo Fae ignora o que se passa no mundo dos mortais. Só o visitam, através das suas estradas misteriosas, quando desejam recrear-se. Agora esses caminhos desaparecem pouco a pouco, deixando os clãs Fae isolados e desamparados.
   Onde sempre reinara a harmonia entre o universo espiritual e a natureza, soam agora avisos dissonantes nos ouvidos dos Fae e dos mortais. Quando se espalham nas povoações boatos sobre o começo de uma caça às bruxas, há quem se interrogue se os diversos presságios não serão notas diferentes de uma mesma cantiga.
   A única informação que têm para os nortear é uma alusão passageira aos chamados Pilares do Mundo..."

   Olá olá!
   Anne Bishop voltou! Há imenso tempo que não tínhamos pelo blogue nenhuma obra dela, mas aqui está ela. Desta vez começa uma nova trilogia, denominada Pilares do Mundo e que os três volumes estão publicados em português felizmente.
   Aconselharam-me a ler este livro dizendo que era engraçado e bastante original. No entanto não foi isso que achei. Se compararmos com as outras obras da autora esta deixa mesmo muito a desejar. O mundo original criado por Anne Bishop na trilogia Jóias Negras é imensamente melhor que este. E se não compararmos esta obra com obras da mesma autora mas sim com obras de outras autoras que escrevem neste estilo digamos que a originalidade também não foi o ponto forte.
   Muito à semelhança de autoras como Juliet Marillier esta obra é simples e com um enredo fraco e previsível. Pontos positivos para esta obra? Bem, tenho de admitir que juntar os Fae, que são criaturas mitológicas nórdicas com deuses greco-romanos foi original. Mas isso não bastou.
    Esta obra não leva uma pontuação muito má porque era um livro pequeno, de escrita simples que se calhar, quando dirigido para o público-alvo, atinge perfeitamente os objectivos. E se calhar atribui-se alguns pontos pelo desenvolvimento da protagonista e de uma ou outra personagem. Já outras ficam em branco, sem qualquer informação para criar ligação com o leitor.
   Não sei se esta trilogia terá capacidade para melhorar. A maneira como acaba deixou-me meio agridoce. Por um lado tem algo que é completamente previsível e que deixou-me desanimado por espetar nos olhos do leitor "o próximo livro vai ser mais do mesmo". Mas por outro lado há uma justiça meio poética para algumas personagens, que admito que me fez sorrir quando li. Terei de esperar para ler o segundo volume...
   Boas Leituras! ;)
4/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas