domingo, 16 de agosto de 2015

A Crown of Swords - Robert Jordan

   "There is a world of light and shadow, where good and evil wage eternal war. It is the world of the wheel of time, the greatest fantasy epic ever written.
   The war for humanity's survival has begun.
   Rand al'Thor, the Dragon Reborn, has escaped the snares of the White Tower and the first of the rebel Aes Sedai have sworn to follow him. Attacked by the servants of the Dark, threatened by the invading Seanchan, Rand rallies his forces and brings battle to bear upon Illian, stronghold of Sammael the Forsaken...
   In the city of Ebou Dar, Elayne, Aviendha and Mat struggle to secure the ter'angreal that can break the Dark One's hold on the world's weather - and an ancient bane moves to oppose them. In the town of Salidar, Egwene al'Vere gathers an army to reclaim Tar Valon and reunite the Aes Sedai...
   And in Shadar Logoth, city of darkness, a terrible power awakens..."

   Hello readers!
   Já faltava aqui alguma nova opinião não era? Agora vão ser mais rápidas, espero eu.
   Ao terminar esta obra estou finalmente a meio da saga Wheel of Time! Pois é, de catorze volumes, sete já estão lidos e tem sido uma espécie de montanha-russa.
   O volume anterior a este estava muito bom, cheio de emoções e boas surpresas tal como descrições apropriadas. E como tal antes de começar a ler este esperava mais do mesmo, apesar de algo dentro de mim suspeitar que iria ser difícil manter a fasquia tão alta.
   E assim foi. Este volume não foi tão bom quanto o que falei. Baseou-se muito em política (o que por si só não é mau, normalmente a política envolve intriga e isso agrada-me), mas não da boa, foi apenas falatório atrás de falatório.
   Achei também que este volume era excessivo nas descrições, possivelmente haveria muitas entradas que não precisavam de ser tão descritivas e assim o livro não seria maior, consequentemente não dando a sensação de um enooooorme livro quando tem à volta de 750 páginas.
   Esperava também que a certa altura o autor começasse a atar certos nós no enredo para que não se tornasse uma grande rede de pontas soltas. Houve alguns enredos que parece que voltaram para mais tarde se poder terminar como deve de ser. Mas apareceram novos, ou seja mais confusão e mais assuntos para lembrar de cada vez que leio um destes livros.
   Um ponto positivo vai para o romance, finalmente começou a acontecer de forma mais aberta e não foi mau de todo. Estou para ver se os próximos livros irão desenvolver esta parte um pouco mais a fundo ou não.
   Poderia ter sido bem melhor do que foi, mas agora essa expectativa vai para o próximo volume. Se quiserem ler a opinião do anterior, basta seguirem o link: Crítica - Lord of Chaos
   Boas Leituras... ;)
6.5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas