domingo, 19 de abril de 2015

Titus, O Herdeiro de Gormenghast - Mervyn Peake

   "No castelo de Gormenghast, uma vasta construção labiríntica e grotesca, nasce Titus, o filho herdeiro de Lorde Sepulchrave. O mundo de Gormenghast é predeterminado por rituais obscurecidos pela passagem do tempo e, ao longo dos corredores sombrios do castelo, a criança encontra algumas das estranhas personagens que irão moldar a sua vida: o taciturno e cadavérico Mr. Flay, o vulgar e obeso Swelter, mas, acima de todos, o ambicioso Steerpike que irá marcar a diferença na sociedade estagnada de Gormenghast com a sua mente maquiavélica e talento para manipulação.
   Prepare-se para uma história de vingança, conspiração e violência, mas também lágrimas e risos, sonhos e desencanto contidos no surreal labirinto de pedra que encerra a vida de Titus."

   Boas leitores!!
   Vou-me defender já e dizer que não sabia que este livro pertencia a uma trilogia quando o obtive! Sempre pensei que fosse um livro isolado, mas afinal não. É uma trilogia onde os dois primeiros volumes estão publicados em português.
   Tem um prefácio interessante que ilustra um pouco a vida e o ambiente onde o autor desenvolveu a sua obra e para além disso os desafios que teve de ultrapassar, nomeadamente a doença de Alzheimer quando esta ainda não tinha sido descrita.
   Pensei que estivesse a enlouquecer com esta leitura, quando li as primeiras cinquenta páginas. Só pensava "O que estou eu a ler? Eu li isto bem?" e outros pensamentos do género. A escrita leva-nos de um lado para outro sem qualquer suspeita, tanto estamos com uma personagem como ela encontra-se com outra e quando nos damos conta já estamos com a personagem que entrou depois. Um pouco confuso a início mas que depois apanha-se o seu jeito.
   Quanto ao ambiente da obra também ele é sempre meio obscuro, estranho e alternativo. Descrições profundas que dão um ambiente a Gormenghast um local que ninguém visitaria no seu estado pleno.
   Não posso dizer que exista um enredo em concreto nesta obra, temos a passagem do tempo e tudo o que isso envolve na convivência numa fortaleza como aquela. Mas isso não tira de todo a excelência da obra, qualquer pessoa pode acompanhar os dias a passarem e os acontecimentos a precipitarem-se uns sobre os outros. Por vezes a leitura pode tornar-se um pouco mais pesada por não termos algo de enredo em concreto e só coisas aleatórias.
   Mesmo assim aconselho a lerem não só por ser de um autor pouco conhecido mas muito bom, mas também porque é algo "alternativo" que todos os leitores deveriam ter um pouco de experiência.
   Boas Leituras... ;)
8/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas