sábado, 21 de março de 2015

Livro - José Luís Peixoto

   "Este livro elege como cenário a extraordinária saga da emigração portuguesa para França, contada através de uma galeria de personagens inesquecíveis e da escrita luminosa de José Luís Peixoto. Entre uma vila do interior de Portugal e Paris, entre a cultura popular e as mais altas referências da literatura universal, revelam-se os sinais de um passado que levou milhares de portugueses à procura de melhores condições e de um futuro com dupla nacionalidade. Avassalador e marcante, Livro expõe a poderosa magnitude do sonho e a crueza, irónica, terna ou grotesca, da realidade. Através de histórias de vida, encontros e despedidas, os leitores de Livro são conduzidos a um final desconcertante onde se ultrapassam fronteiras da literatura.
   Livro confirma José Luís Peixoto como um dos principais romancistas portugueses e contemporâneos e, também, como um autor de crescente importância no panorama literário internacional."

   Olá a todos os leitores!
   Um novo escritor a entrar no grande exército do Viagens por 1001 Mundos! Ainda por cima português! E bem famoso. José Luís Peixoto! Já há muito tempo que me aconselhavam a ler obras dele, pois bem aqui está a primeira, e de certeza que não será a última.
   Este é um livro isolado, que qualquer pessoa poderá ler sem ter lido nada dele antes. Pode parecer estranho ao início, com uma escrita um pouco desconcertante, mas que nos habituamos em pouco tempo e que após essa habituação flui pelos nossos olhos como um rio.
   Uma história bela, que provavelmente cria laços com qualquer leitor por ter um ou outro familiar a emigrar ou que já emigrou e passou por parte disto. O enredo é composto por duas partes, uma primeira mais ao estilo romancista, como se de um Romeu e de uma Julieta se tratassem, com várias histórias ao mesmo tempo que vão dando introduções sobre as diversas personagens. Esta parte é interessante pelo tipo de escrita que vamos percebendo do autor.
   No entanto, achei a segunda parte muito melhor. O romance foi posto um pouco de lado e passou a um registo mais filosófico ou pensativo. Por vezes confuso devido aos saltos temporais para o futuro ou para o passado mas que com mais atenção apanhamos rapidamente e lemos de forma ávida.
   Foi nesta segunda parte que o autor adoptou também uma escrita interactiva com o leitor, como se estivesse a falar com directamente com ele. Enquanto lia sentia que tinha José Luís Peixoto à minha frente a falar comigo com se a personagem estivesse viva. Um grande ponto positivo para isto!
   Aconselho vivamente para quem não gosta do estilo de fantasia ou ficção. E até para os que gostam... Convém sempre lermos um pouco de tudo não é?
   Boas Leituras... ;)
8.5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas