domingo, 1 de fevereiro de 2015

A Espada e a Chama - Stephen Lawhead

   "Quentin reina agora como Rei Dragão, e é confrontado com a investida mais violenta de todas: o insidioso ataque do mal que cresce dentro de si mesmo.
   Como um jovem acólito do deus Ariel, ele empreendera alegremente uma viagem que o afastaria dos velhos deuses, levando-o ao encontro do Altíssimo.
   Desta vez já não é apenas a sua vida, ou a sobrevivência do reino que se encontram em jogo. Nimrood tem em seu poder, como refém, o filho de Quentin. O Rei Dragãi perdeu a sua espada e perdeu o seu rumo. Irá também trair o seu voto solene com o Altíssimo?"

   Boas leitores!
   Uma nova opinião a aparecer! E para além disso, uma que termina uma trilogia, ou seja menos uma coisa inacabada (entre as muitas que aqui andam).
   Então vamos lá, o que dizer deste livro? Inicialmente não era nada de especial, tal como os dois livros anteriores. Mas a certa altura, o rumo da história mudou e começou a tornar-se mais sombria e desesperante, o que ganhou a minha curiosidade por muitas páginas, visto que era uma lufada de novidade que aparecia na obra.
   Mas quando o livro atingia o final, o clímax, com a típica batalha final a parte sombria e desesperante que estava a gostar desfez-se num instante e de forma ridícula sem qualquer lógica. Basicamente voltou à mesma lenga-lenga que antes, um grande aborrecimento.
   E em que consistia esta parte mais sombria perguntam-me vocês? Era não só na alteração da história para o desastre que os leitores não esperavam mas também a caracterização da personagem principal que teve um desenvolvimento cada vez mais dark. Acho que foi bem conseguido... Para depois ser destruído ridiculamente.
   Após ter lido este livro achei que o segundo foi estranho porque basicamente foi empatar a história, porque não contribuiu praticamente nada para o terceiro volume.
   Para alem disso acho que houve imensas questões que ficaram sem serem respondidas, e outras que embora respondidas foi como se fosse das respostas mais vagas do mundo, ou simplesmente respostas para fechar buracos na história, mas que não cumpriram totalmente essa missão.
   Mais uma vez acho que toda esta trilogia talvez esteja bem sucedida para jovens leitores, mas para aqueles que já leram muito é só algo banal. Exceptuando algumas partes deste último volume. Se quiserem saber mais da colecção, sigam o link seguinte: Crítica - Os Guerreiros de Nin
   Boa Leitura... ;)
5.5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas