domingo, 7 de dezembro de 2014

Bisturi - Paul Carson

   "Um assassino ensombra os corredores do Central Maternity Hospital, em Dublin.
   Uma jovem assistente de laboratório é encontrada brutalmente assassinada na sua bancada e a única pista é um bisturi manchado de sangue. A investigação da polícia conduzida pela Detective Sargento Kate Hamilton, é dificultada por um muro de silêncio do pessoal do hospital, que tenta desesperadamente proteger a sua reputação. A Detective Sargento Hamilton suspeita que o assassino está entre eles. Mal sabe ela, ao apertar o cerco ao assassino, que o caçador se converteu na presa.
   Na mesma semana, o recém-nascido de um dos maiores industriais da Irlanda, cujo parto decorreu no Central Maternity Hospital alguns dias antes, é raptado.
   Conseguirá Hamilton desmascarar o assassino antes de ele fazer mais uma vítima? Conseguirá a polícia encontrar o bebé antes que seja tarde demais?
   O pesadelo de qualquer doente está prestes a tornar-se realidade."

   Boas leitores...
   Uma nova opinião por cá, desta vez de algo que já não havia por aqui há muito tempo... Um policial. É um livro isolado, sem qualquer colecção de um autor que nunca tinha lido.
   Infelizmente não foi grande leitura. Pelo menos não para um policial que eu gostasse. Num policial procuro sempre que haja um bom enredo, cheio de suspanse, mistério e ação até ao final. Gosto imenso quando o autor consegue deixar-nos às escuras sobre o assassino até às últimas páginas e nessa altura faz-nos agarrar ao livro e ler para saber tudo, tudo tudo.
   Foi o contrário que aconteceu. Antes de ter lido cem páginas já sabia quem era o assassino e qual tinha sido o seu motivo para tal. A partir daí foi só aborrecido, o que foi muito mau visto que o livro tem à volta de 500 páginas e antes de 1/5 disso já se sabia o principal do enredo.
   Na minha opinião acho que reparei pela primeira vez que a profissão que os escritores levam em paralelo com a sua escrita (quando isso acontece) influencia em grande parte as suas histórias. E é bem verdade, este autor é médico, na sua profissão tem de ser meticuloso e sem grande espaço para improvisos e isso refletiu-se em grande parte na história, onde os pormenores estavam todos lá mas não deixavam o leitor a desconfiar ou a imaginar o que poderia acontecer. Para além claro do facto da maior parte da obra passar-se dentro de hospitais, um meio muito conhecido do autor.
   Por estas razões não é um livro que aconselha a lerem, muito menos se gostam de policiais da mesma forma que eu.
   Boas Leituras... ;)
3/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas