domingo, 2 de novembro de 2014

A Floresta de Mãos e Dentes - Carrie Ryan

   "No mundo de Mary há verdades simples. A Irmandade sabe sempre o que é melhor. Os Guardiães protegem e servem. Os Excomungados nunca desistem. E tu nunca deves esquecer a cerca que rodeia a aldeia. A cerca que protege a aldeia da Floresta de Mãos e Dentes. Mas, aos poucos, Mary começa a pôr em causa as suas verdades. Ela está a conhecer coisas que nunca quis saber sobre a Irmandade e os seus segredos, sobre os Guardiães e os seus poderes. E quando há uma brecha na cerca e o seu mundo se transforma em caos, ela fica a conhecer melhor os Excomungados e percebe o quão implacáveis são. Agora, Mary tem de optar entre a sua aldeia ou o seu futuro, entre aquele que ama e aquele que a ama.
   E também tem de enfrentar a verdade em relação à Floresta de Mãos e Dentes.
   Poderá haver vida para lá de um mundo rodeado por tanta morte?"

   Boas leitores...
   Nova opinião que trouxe algumas surpresas (uma não tão boa). Primeira coisa que me surpreendeu foi descobrir que este livro é sobre zombies, sim, mortos-vivos. A sinopse não dá nada a indicar isso a não ser depois de ler, aí tudo faz sentido. A segunda surpresa e essa não foi tão boa, foi descobrir que comecei uma nova colecção inadvertidamente. Este é o primeiro livro de uma trilogia da qual tentem advinhar... Só o primeiro está publicado em português. Lá vamos nós outra vez para a mesma lenga-lenga.
   Quanto a história deste primeiro volume. Boa, não sei se completamente original, porque nunca li grande coisa sobre zombies portanto a minha experiência não é muita nesse campo. No entanto, até achei engraçada.
   Houve partes totalmente comerciais como a velha cantiga do "eu tenho dois amores" que eram dispensáveis ou que poderiam ser feitas de outra forma.
   O enredo passa-se depressa numa escrita fácil (o livro tem pouco mais de 250 páginas por isso lê-se relativamente rápido) e antes de nos darmos conta já chegou ao final do primeiro livro e ficamos com um pouco de curiosidade sobre o que se passará no segundo.
   Mas acho que essa curiosidade depressa passa, não achei que o livro conseguisse criar expectativa no leitor de forma a que ele quisesse devorar o livro de uma assentada. Está bom, mas não fantástico.
   Boa Leitura... ;)
6/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas