sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Se Acordar Antes de Morrer - João Barreiros

   "Sinto-me honrado por poder apresentar-vos este livro. Por várias razões, entre as quais avulta não só o respeito e admiração que tenho pelo autor e sua obra, mas também pela oportunidade do momento em que este volume nos é oferecido. A literatura de Ficção Científica portuguesa, a par de todo o género comum do fantástico, necessita de um instante destes, de uma publicação que nos faça pensar no passado, no presente e no futuro, em que a comunidade de leitores do género possa e deva ser confrontada com o que tem, com o que é, e com o que pode vir a ser. E é também uma boa altura para certos sectores repararem que algo de legítimo se passa fora dos cânones convencionais do realismo contemporâneo, para dar a conhecer um pouco mais ao grande público, este importante vislumbre de um corpus e de uma carreira dedicados à Ficção Científica, made in Portugal.

   Como todos concordarão, Barreiros é o nosso grande autor de FC; o único português que publica com alguma regularidade na distopia periférica do Cá-Dentro, que vai sendo, aos poucos, conhecido nesse mundo tecno-místico do Lá-Fora, e que se mantém sempre e irredutivelmente leal à FC Pura. Isto, embora não desdenhe usar de outros elementos típicos do fantástico, nomeadamente na área do horror. Mas para o ler da melhor forma, há que saber compreender as referências pop da nossa cultura ou da que estamos a perder."
in Prefácio de n. fonseca"

   Boas pessoal!
   Sei que já não dava notícias há algum tempo mas tem sido um pouco caótica a semana e como não houve nenhum BTT esta semana... Mas já cá estou com uma nova opinião.
   Este livro adquiri-o na Feira do Livro por diversas razões: estava a um preço baratíssimo, era de um autor português (temos de publicitar a literatura nacional não é?) e por último (e esta é um pouco fútil para alguém que lê tanto) porque achei a capa interessante.
   Portanto não sabia nada do autor, não sabia em que género iria calhar o livro e muito menos que seria uma colectânea de contos. Fiquei surpreendido mas não desiludido quando percebi isto. Mas apanhei algumas desilusões depois.
   A primeira veio com a forte opinião crítica que o autor tem contra a fantasia. Como escritor de ficção científica entendi em parte visto ser um género sempre em batalha com a fantasia. No entanto quando li um dos contos, em que percebi num instante que o autor não só criticava a fantasia numa sátira de certa forma engraçada, mas criticava um autor português (que é o mais grave de tudo) por escrever fantasia e, com isso, estar no Plano Nacional de Leitura Português. É lógico que não há prova nenhuma que sejam a mesma pessoa, mas acho que só quem não tiver dois dedos de testa não entenderá isso. E portanto para mim o escritor foi muito abaixo do nível que deveria ter ido, numa atitude bastante infantil.
   E o mais ridículo disto tudo é que apesar deste autor ser um tão defensor ávido da FC grande parte dos contos dele encaixam-se na minha consideração do que é fantasia e horror, o que de certa forma é um pouco contraditório, mas isso deixo à opinião de cada um sobre o que é fantasia e o que é FC.
   Apesar de tudo isto, não posso deixar de dizer que sim, alguns contos são originais e estão muito bem escritos, captando a atenção do leitor, e as explicações de como surgiram os contos como prefácios é uma boa ideia. Só é pena o autor pecar tanto pelo seu ódio aficcionado pela fantasia.
   Boa Leitura... ;)
5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas