segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Arcanum - Thomas Wheeler

   "O Livro de Enoque, o mais poderoso artefacto do mundo, é uma crónica dos erros de Deus e contém nas suas páginas a chave para o fim do mundo. Infelizmente acaba de ser roubado.
   Estamos em 1919 e a Grande Guerra chegou ao fim. Mas nas sombras da civilização as mortes apenas acabam de começar. Nestes tempos perigosos em que a linha entre ordem e caos ameaça extinguir-se, um grupo de visionários jura proteger a humanidade. São conhecidos como Arcanum.
   Quando Konstantin Duvall, o fundador do Clube, morre de forma suspeita em Londres, cabe ao mais antigo membro, o famoso escritor Sir Arthur Conan Doyle, investigar o caso. Pois da biblioteca secreta do morto desapareceu o artefacto mais poderoso do mundo: o Livro de Enoque. Este é o crime que ameaça ser muito mais do que uma guerra entre seitas ou nações, mas sim a derradeira batalha entre o Céu e o Inferno.
   Arcanum é um thriller brilhante e original sobre o religioso e o sobrenatural. Repleto de drama, suspense e algumas das personagens mais marcantes da história, como o mágico Houdini, o estranho escritor H. P. Lovecraft e o engenhoso Sir Arthur Conan Doyle, criador de Sherlock Holmes."

   Boas leitores!
   Chegámos a Setembro, lá se estão a acabar as férias para todos. Mas haverá sempre tempo para ler um pouco. Para começarmos o mês logo pelo dia 1 cá está uma nova crítica. É um livro isolado, sem colecções (graças a deus porque colecções inacabadas é o que não me falta).
   Nunca tinha lido nada deste autor, o que vendo agora até é uma pena, porque ele não escreve nada mal. Foi surpreendente perceber que o livro tinha como protagonistas pessoas reais e mundialmente famosas, acho que para isso é preciso ter cuidado para se manter fiel ao que os registos afirmam e, no entanto, conseguir dar a sua personalidade para a história em si.
   É como o facto do enredo passar-se em 1919, não sei de todo se está fiel à época, mas parece-me que o autor esforçou-se para isso, o que só por si vale alguns pontos.
   Já o enredo esteve um pouco agridoce, estava interessante e empolgante a escrita o suficiente para ficar curioso para ler mais, mas tratar-se de sociedades secretas (o que não é mau de todo) mas depois aparecerem anjos e demónios foi um pouco exagerado e fantasioso demais para o livro que era.
   Uma coisa boa foi que como este era um livro único, o autor teve de criar mistérios e resolvê-los a todos até ao final do livro, pelo que não houve grandes perguntas que ficaram sem resposta, que é algo que eu odeio que façam.
   Acho que era um bom livro para ser adaptado a filme, seria algo diferente e deveras engraçado. Principalmente com as personagens que tem, o quanto me ri ao ler sobre H. P. Lovecraft quando na realidade já li os 5 livros de contos publicados em Portugal e tinha uma imagem mental dele um pouco... diferente
.
   Boa Leitura... ;)
6.5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas