domingo, 1 de junho de 2014

O Poço das Sombras - Juliet Marillier

   "Em missão secreta na Irlanda por ordem do Rei Bridei de Fortriu, Faolan tem também de dar a notícia da morte de um bravo guerreiro. Porém, o principal assassino e espião de Bridei tem de enfrentar os demónios do passado sombrio da sua família com resultados inesperados. Quando segue o rasto de um poderoso clérigo cristão que pode ser uma ameaça para a estabilidade do reino pagão de Bridei, Faolan torna-se responsável por uma criança, um cão e Eile, uma jovem perturbada e desconfiada.
   Para Eile, a viagem a Fortriu é uma confrontação. Acostumada a uma vida de privações e labuta, a jovem vê-se perante um mundo estranho, cheio de lições novas, onde o principal desafio é aprender a confiar nas pessoas.
   Na corte de Bridei, em Monte Branco, notícias perturbadoras vindas do reino vizinho de Circinn, levam o Rei a convocar a conselho os seus chefes-de-guerra. Após o desaparecimento do principal conselheiro de Bridei e a morte trágica de uma jovem criada, a ameaça provocada pela influência cada vez maior da Cristandade parece ser o menor dos perigos..."

   Boas leitores...
   Mais uma vez um intervalo gigantesco interpôs-se aqui no blogue, também pela falta de BTT que tem havido. Agora em época de exames não sei se espero poder ler mais ou menos, logo se verá. O que interessa é que aqui está uma nova crítica. Crítica essa ao último livro das Crónicas de Bridei.
   E o livro teve os seus pontos positivos e negativos. Começando a ler a obra
fui logo surpreendido pela positiva, o que me agradou. Tive muitas outras surpresas ao longo do livro, no entanto acho que este teve também no início aquele tipo de história de viajantes a ter aventuras atrás de aventuras, o que não me agrada muito. Além disso houve pormenores que foram ridículos por não terem sido iguais aos do livro anterior. Nomes de locais que traduziram para português quando nos anteriores estavam em inglês. Cabelos de personagens que mudaram de cor de um livro para o outro, entre muitas outras coisas.
   Mas quando isso passou e a acção voltou a centrar-se em Fortriu o livro aumentou o interesse. Acho que acabou muito bem, no entanto houve alguns pormenores que não foram explicados, e outros que davam mesmo a sensação de que iria haver um quarto livro, que não existe, pelo menos em português.
   É um livro com a qualidade da autora, que é sempre boa, nuns livros melhores do que noutros. É pena já não haver à venda em formato normal, só em formato de bolso. Se quiserem saber mais sobre esta colecção, nomeadamente do livro anterior, basta seguir este link: Crítica - A Espada de Fortriu
   Boas leituras... ;)
7,5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas