sábado, 8 de março de 2014

Máscara de Raposa - Juliet Marillier

   "Na continuação de O Filho de Thor, primeiro livro da Saga das Ilhas Brilhantes, Juliet Marillier prossegue neste segundo e último volume a narrativa das aventuras de Eyvind.
   Ao atingir a maioridade, Thorvald descobre um segredo terrível e parte numa perigosa viagem em busca do pai que nunca conheceu à longínqua ilha do povo dos Facas Longas. Acompanha-o a sua grande amiga, Creidhe, filha de Eyvind o Pele-de-Lobo, que não devia participar nessa viagem desesperada, mas Thorvald subestimou-a.
   O povo dos Facas Longas não é o que os cansados viajantes esperavam. Desconfiadas, assustadas e governadas por um tirano cruel, essas gentes estranhas não explicam por que Creidhe tem de esconder os cabelos louros, ou por que há tão poucas crianças entre eles...
   Mas então nasce um bebé, e Creidhe descobre a terrível verdade sobre a maldição a que o povo dos Facas Longas está sujeito, e a única solução possível. Porque o futuro das ilhas depende de uma criança visionária: um poderoso vidente. Mas há segredos mais profundos nesta luta pela sobrevivência e uma outra maneira - inimaginável - de levantar a maldição. Uma maneira que os recém-chegados descobrem quando já é, provavelmente, demasiado tarde..."

   Boas leitores...
   Aqui estou como prometi com uma crítica para o vosso fim-de-semana que já vai a meio. Este é, como diz a sinopse, o segundo e último livro duma saga, ou seja menos uma colecção inacabada que vou ter!
   Foi um livro que teve diversas opiniões vindas de mim, de início julgava que iria ser um livro demasiado grande para a história que contava, e essa opinião permaneceu por algum tempo. Depois julgava que a história estava boa, mas que se prolongasse mais iria fartar-me. E nas últimas cento e cinquenta páginas, mais ou menos, a minha opinião era que queria ler e estava curioso para ver como acabava.
   A história está muito bem contada, e a ilustração dos mapas no início ajudou bastante nas descrições. As personagens estavam muito bem construídas, tal como as relações entre elas.
   Só achei que o final poderia ter sido feito de outra forma, prolongar uma parte e reduzir outra desnecessária. O romance final gostaria de poder ter visto mais um bocado por exemplo. Mas não se pode pedir tudo não é?
   Um pormenor que achei muito engraçado também foi a nota da autora, parece que o local onde a história se passava é baseada num sítio real, o que me deu bastante curiosidade para visitá-lo e saber mais dele!
   É um bom livro a lerem da autora. Se quiserem saber mais do livro anterior da saga basta clicarem no seguinte link: Crítica - O Filho de Thor
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas