quinta-feira, 6 de março de 2014

Booking Through Thursday - Censura Juvenil

   Eu li um post de um blogue interessante do autor de literatura juvenil A.S. King que me tocou no tema de censura - especialmente no que toca a censura juvenil.
   Aqui está um excerto, mas a sério, deviam ler todo o texto porque é fascinante: (decidi colocar aqui o texto em inglês para maior "impacto" que se calhar se perderia na tradução)
     "I don’t know about you, but quiet censorship freaks me out. It’s the censorship that’s spoken over tea, over lunch, at random times when we are not prepared to answer because we are caught so off-guard that we really only think about what was said on the plane home. Last year I was asked to be on a censorship panel as an “expert.” I had to reply and say I was not an expert at official challenges. So far, my books haven’t had an official challenge as far as I know. Instead, I get embarrassed looks from dedicated librarians who whisper, “My principal won’t let me have that one in the stacks.” I have quiet un-invitations. I have quiet conversations with saddened teachers who tell me that a colleague said, “But you’re not going to actually give that book to students, are you?” I get quiet letters from devoted teachers who apologize for not being able to share my book with a student who needs it because of a fear of losing their job. Ah quiet. It is usually an indication that something really important is being withheld. Like the way we whisper cancer."
   Eu acho que a maior parte de nós é provavelmente contra a censura, por princípio, mas... Achas que deveria depender na idade impressionável dos leitores? Ou é sempre errado? Então quanto às diferenças entre uma censura "oficial" dada por um governo ou uma escola e a censura posta por um pai a dizer Não a um livro específico para os seus filhos?

   André: Eu acho que a censura, especialmente nos livros não deveria existir, eu li livros que supostamente eram aconselhados a idades superiores a 18 anos com 13 e nada me fez mal. Não houve nenhum bicho-papão a comer-me. E estou bem de saúde psicológica (acho). O único tipo de censura que talvez aceite um pouco seria o dado pelos pais, no fundo a maior parte deles sabe o melhor para os filhos, mas mesmo assim, há vezes que o que os pais pensam que determinada leitura é melhor para os filhos, e depois pode não ser realmente o melhor. Todos os outros tipos de censura são ideias com as quais não concordo. Aliás o que são livros se não pedaços de conhecimento (inclusive os de fantasia)? Seria negar um pedaço do conhecimento a uma pessoa só porque sim.

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas