quarta-feira, 24 de abril de 2013

A Esmeralda do Rei - Paulo Pimentel

   "Nascida em meados do século XII, a narradora e protagonista desta história, filha de uma moura e de um cruzado normando, é uma mulher singular, que nos conduz por territórios ainda muito frágeis, de variadas crenças, interesses e cores. Quando Sancho I, em 9 de dezembro de 1185, for aclamado rei, assumindo na íntegra a pesada herança do fundador da nação, terá uma dramática luta pela frente, marcada internamente pela necessidade de segurança e organização do território, mas também por sucessivas catástrofes naturais, fomes, pestes, intrigas e conflitos constantes com a nobreza e com o clero. Ensombrado pelas ameaças dos reinos de Leão e Castela, pelo poderio do império almóada, e pela excomunhão de Roma, Portugal enfrenta o não menos difícil desafio de se assumir e de se consolidar como terra independente. A Esmeralda do Rei é uma incursão assumidamente ficcionada pelos primeiros reinados da História de Portugal; uma impressão do autor sobre as originalidades e as raízes do ser e do sentir português. Um desígnio de liberdade e de conquista, a busca de um lugar e de uma identidade, que se hão de cumprir à margem do tempo. Um mergulho às profundezas do ser humano, às suas origens e à sua espiritualidade, tantas vezes em confronto com as suas fragilidades, mistérios e interrogações. A certeza de abrir as asas e chegar ao infinito..."

   Boas leitores...
   Espero que esteja tudo bem convosco, que por estas terras longínquas e estranhas também está tudo em ordem. E agora vai uma críticazinha pronta a sair...
   Este livro é um romance histórico sem colecção e de um autor português, sim estamos a publicitar os autores portugueses ultimamente, o que é bom, há que ajudar os portugueses a terem sucesso no mundo da literatura.
   Agora quanto ao livro, tenho de dizer em primeiro lugar que muito me custou a ler, mas apenas devido ao formato em que o texto estava, ocupando a página do livro basicamente toda, com margens muito pequenas, ou seja cansava a leitura muito rapidamente. Outro ponto negativo foi o início da história que não parecia muito apelativa, e juntando este pormenor ao problema anterior tenho de afirmar que por pouco não decidi saltar este livro e ler outra coisa, mas decidi continuar...
   E por um lado ainda bem que o fiz porque até é uma obra bastante interessante, não é um livro daqueles de ficar de boca aberta ou de pensar "uaaaaauhhh". É mais um livro razoável com uma boa história, e o melhor é que a história é baseada no nosso país e na nossa história.
   É um livro engraçado de se ler, mas tenham em atenção o formato do livro e vão ver que vos vai cansar de início,  mas esforcem um bocado que depois até vai valer a pena.
   Gostei imenso da personagem principal e dos problemas dela e principalmente das vezes que ela dizia que iria abrir as asas no futuro e voar livremente, como uma grande metáfora à vida.
   É um livro que aconselho, se quiserem comprá-lo está aqui: Wook
   Boa Leitura... ;)
6,5/10

André

1 comentários:

Anónimo disse...

Saudações! O meu nome é Carolina e confesso que fui uma das primeiras pessoas a ter acesso a este livro, pois quando o adquiri ao autor, a obra ainda não tinha passado para o exterior. Estou no 10 ano de escolaridade e este foi o livro de leitura obrigatória deste ano lectivo, talvez porque tanto o autor como a acção da obra decorrem no local onde estudo, Arruda dos Vinhos. Aproveito para deixar também a minha crítica. Confesso que o livro, se a sua formatação tivesse sido adequada, deveria rondar as 600 páginas. O enredo é bastante entusiasmante e envolvente, contudo, penso que tem demasiada descrição dos acontecimentos e das paisagens. A descrição é um elemento fundamental a qualquer obra, mas, não em exagero, como se pode confirmar na leitura deste livro. Penso que a parte mais emotiva da obra é de facto a última parte, em que Esmeralda "abre as asas" e "voa" até ao paraíso, após uma vida tão atribulada finalmente alcança a paz. A obra é bastante extensa e demorei algum tempo a ler, mais do que é usual. Expondo a minha opinião, sem querer ofender alguém, penso que não é uma obra para o 10º ano de escolaridade, pois não só o vocabulário é extremamente complexo, mas também devido à "acção" do livro. Fica aqui presente, também, a minha classificação: 5.5/10. Apesar de me contrariar, parabéns ao grande escritor Paulo Pimentel pela grande obra e o respectivo sucesso.

Enviar um comentário

Páginas Comentadas