domingo, 21 de outubro de 2012

A Manopla de Karasthan - Filipe Faria

   "Na imensidão cósmica existe um mundo, Allaryia, de grandes heróis e vilões infames, de seres de uma beleza indescritível e criaturas maléficas de uma fealdade atroz, nações poderosas e impérios tirânicos. Depois de muitas eras que alternaram entre a paz e a discórdia, encontramos neste primeiro volume das Crónicas de Allaryia, um tempo de aparente tranquilidade, de uma calma inquietante, semelhante ao silêncio que antecede a tempestade. Algures, numa câmara escura, subterrânea, algo se move, tentando libertar-se de anos de cativeiro, algo monstruoso, inumano, sedento de sangue e dor. O povo de Allaryia perdeu o seu campeão - Aezrel Thoryn, provavelmente morto numa batalha contra o Flagelo, a força das trevas, em Asmodeon - e mais do que nunca precisa de protecção. Aewyre Thoryn, o filho mais novo do saudoso rei, pega em Ancalach, a espada do seu pai, decide descobrir o que realmente lhe aconteceu e parte a caminho de Asmodeon. O que o jovem guerreiro não podia prever era que a sua demanda pessoal se iria transformar, à medida que os encontros se vão sucedendo, na demanda de um grupo particularmente singular, que reunirá a mais estranha e inesperada mistura de seres - Allumno, um mago, Lhiannah, a bela princesa arinnir, Worick, um thuragar, Quenestil, um eahan, Babaki, um antroleo, Taislin, um burrik, Slayra, uma eahanna negra e o próprio Aewyre. O ritmo a que se sucedem as aventuras é absolutamente alucinante, a cada passo surgem perigos mais tenebrosos, seres aterradores que esperam, ocultos nas sombras, o melhor momento para atacar e roubar a tão desejada Ancalach… Mas os laços de amizade que unem o grupo estão cada vez mais fortes e, juntos, sentem-se capazes de enfrentar qualquer inimigo! Um livro extraordinário, vencedor do Prémio Branquinho da Fonseca atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian e pelo semanário Expresso, que promete conquistar um lugar privilegiado na literatura portuguesa."

   Boas pessoal...
   Bem aqui estou eu a começar mais uma colecção, em vez de terminar umas quantas que estão em aberto. Desta vez a colecção chama-se Crónicas de Allaryia e é composta por sete livros se não me engano, sendo este o primeiro deles todos logicamente.
   Este é um livro da lista do Plano Nacional de Leitura, o que me assusta um bocado devido a algumas partes que estão no livro que desaconselharia a qualquer criança, ou são demasiado sexuais ou demasiado violentas.
   Quanto à história, está bastante boa, apesar de não me agradar muito a estratégia do autor, que já agora é português deixem-me dizer, que se baseia numa data de aventuras que um bando de heróis vai passando enquanto viaja, prefiro uma única história com uma aventura, mas enfim apesar disso está muito boa.
   As capas são um bocado infantis demais, mas visto que este livro é aconselhado à leitura de jovens adolescentes entendo a escolha. Mas acho que ao longo da colecção as capas vão se alterando, tornando-se mais sóbrias.
   É uma colecção pela qual estou curioso para saber mais, e da qual até aconselho a ler, mas não é nada estupendo e que tenham de ler imediatamente. No entanto, se quiserem comprar o livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
7,5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas