quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O Braço Esquerdo de Deus - Paul Hoffman

   "A sua chegada foi profetizada. Dizem que ele destruirá o mundo. Talvez o faça... 
   "Escutem. O Santuário dos Redentores, em Shotover Scarp, é uma mentira infame, pois lá ninguém encontra santuário e muito menos redenção." 
   O Santuário dos Redentores é um lugar vasto e isolado - um lugar sem alegria e esperança. A maior parte dos seus ocupantes foi levada para lá ainda em criança e submetida durante anos ao brutal regime dos Redentores, cuja crueldade e violência têm apenas um objetivo - servir a Única e Verdadeira Fé. Num dos lúgubres e labirínticos corredores do Santuário, um jovem acólito ousa violar as regras e espreitar por uma janela. Terá talvez uns catorze ou quinze anos, não sabe ao certo, ninguém sabe, e há muito que esqueceu o seu nome verdadeiro - agora chamam-lhe Cale.
   É um rapaz estranho e reservado, engenhoso e fascinante. Está tão habituado à crueldade que parece imune a ela, até ao dia em que abre a porta errada na altura errada e testemunha um ato tão terrível que a única solução possível é a fuga.
   Mas os Redentores querem Cale a qualquer preço... não por causa do segredo que ele sabe mas por outro de que ele nem sequer desconfia.
   Com O Braço Esquerdo de Deus, primeiro volume de uma trilogia, Paul Hoffman confirma-se como uma das novas grandes vozes da literatura de Fantasia."

   Boas pessoal...
   Aqui estamos nós no último dia de Fevereiro, postando aqui um livro no dia que só aparece de quatro em quatro anos.
   Quanto ao livro que vos mostro hoje é O Braço Esquerdo de Deus que julgo que seja uma trilogia ou assim parecido, já tem dois livros publicados e o resto ainda estará para ser publicado, pois ainda nem foi escrito.
   Em relação à história gostaria de colocar aqui um ponto importante, este livro deu-me sempre a impressão de que se trata numa espécie de mundo paralelo ao nosso, onde uma religião (parecidíssima com a cristã do nosso mundo) nunca perdeu o poder e onde tem estado sempre em guerra com os Antagonistas, ou os que não acreditam naquela religião.
   Mas a história não se baseia só nessa guerra, mas sim num jovem que sempre foi criado num local de controlo dos Redentores (os equivalentes a padres, mas muito mais rígidos) e na sua luta para sair dum mundo obscuro e cheio de sofrimento para poder ver a vida dele de forma melhor.
   Por um lado não gostei também deste livro pela escrita oscilante, tanto escreve fluentemente com ritmo e entusiasmante, como escreve parágrafos extensos que só descreve coisas, por vezes desinteressantes. Mas gosto do mundo paralelo que ele criou, principalmente por centrar-se um pouco na religião e na maldade dela.
   É um livro digamos mediano, se lerem espero que gostem...
   E se quiserem aproveitar e comprá-lo, nada melhor do que: Wook

   Boa Leitura... ;)
7/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas