sábado, 31 de dezembro de 2011

As Tribos do Sul - Madalena Santos

   "Nas Terras de Corza, o novo horizonte decora uma época de mudança; os primeiros automóveis passeiam-se em cidades de chaminés fumegantes, que gritam por mais recursos, para um maior progresso. Pela primeira vez, galgam as suas fronteiras, nessa busca frenética, cruzando-se com os povos do Sul, que, ainda amando a natureza virgem, erguem defesas desesperadas.
    Tyrawen, filha de um deputado, faz parte da vaga de exploradores, mas, quando menos espera, a experiência de um rapto altera-lhe o rumo: uma promessa por cumprir fá-la entregar-se ao misticismo das tribos, que a converte na representação de uma divindade. As Terras de Corza pretendem descredibilizá-la; mas serão capazes de negar a força das crenças primitivas?
   O futuro irá traçar-se respeitando os mais antigos ou derrubando uma civilização...
   "As Tribos do Sul" é o mais recente romance histórico-fantástico de Madalena Nogueira dos Santos, o terceiro da saga Terras de Corza."

   Boas Leitores
   Aqui estou eu para a última crítica de 2011, antes de mais, desejo-vos umas boas entradas e que tenham um ano feliz. Infelizmente este último livro não foi lá muito feliz.
   O terceiro livro da tetralogia das Terras de Corza foi o mais decepcionante até agora. Não só pelo facto que a autora parece indecisa quanto ao que escreve, tanto pela história em si, como pelo género que a saga está a tomar. Inicialmente, o primeiro livro era uma obra do género fantástico, agora está muito mais virado para o género histórico com este terceiro volume.
   Quanto a esta história não foi muito apelativa, enquanto que os dois livros anteriores apelavam para a força e determinação da mulher, este parece que denegriu um pouco a imagem da mesma, criando pelo menos para mim a imagem duma mulher fraca, indecisa, etc.
   Outro ponto fraco, é o contínuo desenvolvimento das Terras de Corza, neste volume já existem automóveis, comboios e todas outras tecnologias, o que para mim é mais um factor que não favorece a decisão da autora em relação ao tema da saga. Ou se passava toda na era medieval, ou toda na era moderna, não um livro numa época e outro noutra.
   Sempre há outros pontos positivos como a perspectiva de outra civilização e o facto de vermos um pouco o espelho da nossa actual humanidade, mas poderia ter sido melhor.
   Se quiserem saber mais dos livros anteriores carreguem no link: Crítica - A Coroa de Sangue
   Para comprarem o livro: Wook

   Boa Leitura e Bom Ano Novo... ;)
4,5/10
André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas